Arquivos da categoria: Princesa

Jovens rurais de Princesa participam de capacitação

princesajovens1

O encontro foi presidido por Jovani Gregolin, Gerente da Cooper Alfa de São José do Cedro, empresa parceira do projeto. Em seguida, Edson Telles, falou sobre “Agricultura de Precisão”.

Coube ao engenheiro agrônomo da Epagri, Elvys Taffarel, da Gerência Regional da Epagri em São Miguel do Oeste falar sobre “Armazenagem de grãos e energias renováveis". Durante a tarde, o grupo conheceu o funcionamento do silo secador, na propriedade de Cézar Nós.

O Programa Capacitação de Jovens Rurais do município de Princesa, no extremo oeste Catarinense é promovido pela Epagri, Sicoob, Sintraf, Sindicato dos Produtores Rurais, Cooper Alfa e Prefeitura de Princesa.

Segundo os extensionistas da Epagri local, Leandro Hubner e Graziele Schnorr, a capacitação envolveu 27 jovens rurais do município, que participaram de sete encontros mensais de um dia, entre os meses de abril a outubro, com aulas teóricas pela manhã e práticas à tarde. Os jovens foram indicados pelas entidades envolvidas e todos receberão certificados registrados de conclusão e assistência técnica na propriedade.

princesajovens2

Os principais temas da capacitação envolveram bovinocultura de leite, conservação de solo e água, produção de alimentos para família, armazenagem de grãos, planejamento de propriedades e educação financeira, nota fiscal eletrônica, INSS, organização social, meliponicultura/apicultura, agricultura de precisão, piscicultura, entre outros.

De acordo com a extensionista da Epagri, Graziele Schnorr há uma preocupação geral das entidades, quando o assunto é juventude e sucessão familiar. "Nos dados revelados no censo agro 2017 do IBGE houve uma redução de 20% das propriedades rurais de Princesa em relação ao censo de 2006. Em 2017 foram registradas pelo censo 379 estabelecimentos agrícolas com produção. Desses em apenas 07 o responsável pela propriedade tem menos de 30 anos de idade (jovem) e em 97 o responsável tem mais de 60 anos de idade, ou seja, não tem sucessor neste momento. Em 274 estabelecimentos o responsável tem entre 30 e 60 anos" declara.

Para os extensionistas Graziele Schnorr e Leandro Hübner, que coordenam a capacitação, a meta é preparar os jovens rurais para serem sucessores das propriedades e poder torná-las economicamente viáveis, ambientalmente corretas e socialmente justas, em benefício das famílias e da sociedade.

Mais informações: emprincesa@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4305
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Princesa sedia encontro de Unidades de Referência em produção de leite

princesaencontroURT

pricesaurt2

Foi realizado no auditório da Câmara de Vereadores do município de Princesa, extremo oeste catarinense, o encontro das famílias com Unidades de Referência em bovinocultura de leite, implantadas em suas propriedades.

Duas palestras foram realizadas, uma sobre manejo e fertilidade do solo e outra sobre produção de alimentos para o consumo da família.

Também houve a apresentação dos resultados técnicos, econômicos, sociais e contábeis das URT’s, Unidades de Referência Tecnológicas, na produção de leite.

O grupo participante do encontro realizou visita à Unidade da família de Marcelo e Elaine Becker, na comunidade Sagrada Família, onde conheceram os sistemas de produção, organização e gestão de alimentos.

 

UNIDADES DE REFERÊNCIA

As Unidades de Referências Tecnológicas – URT – nome genérico para designar unidades demonstrativas, unidades de observação e unidades de referência educativa são importantes instrumentos de extensão rural e assistência técnica para demonstração e multiplicação de tecnologias.

É instalada em uma propriedade escolhida por um determinado grupo de agricultores, utilizando a tecnologia que se pretende divulgar e replicar. Fonte: Por: Kelly Figueiró / Folha do Oeste

 

Mais informações: emprincesa.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Família de agricultores é referência em silvipastoril no Extremo Oeste

  princesaepagri3

A propriedade chama a atenção de quem passa na comunidade Linha Sagrada Família, município de Princesa. Logo se percebe o capricho, a dedicação e o respeito dos moradores em relação ao meio ambiente e aos animais. Lá vive o jovem casal Marcelo e Liane Becker. Eles têm uma filhinha: a Bianca, de 5 anos.

pricesaepagri1

A propriedade dos Becker é um modelo de gestão da atividade leiteira com o uso do sistema silvipastoril, uma integração perfeita no campo. A combinação de árvores, pastagem e gado numa mesma área garante muitos benefícios para quem produz e para os animais.

A família possui 15 vacas e a produção é decinco mil e 500 litros de leite por mês. Numa propriedade pequena de sete hectares cada espaço é muito bem aproveitado. Do total, 5,9 hectares são destinados aos bovinos. A área é dividida em piquetes de 675 metros quadrados cada um. São 52 piquetes com pastagem bonita e sempre disponível aos animais.

princesaepagri2

O produtor trabalha com pastagens perenes de verão como o tifton e o pioneiro. Quando seca o pasto, lá pelos meses de março a abril, Marcelo faz a sobressemeadura com aveia e azevém. No inverno já estão prontas para pastoreio e assim nunca falta pasto verde para as vacas. Com o piqueteamento e plantio de árvores na área de pastagem acontece o que os técnicos chamam de “efeito porão”.

O extensionista da Epagri, Leandro Hubner, explica que ocorre uma diferenciação positiva da temperatura tanto no inverno quanto no verão. “O sombreamento possibilita uma diminuição de temperatura entre oito e 10 graus no local em que estão os animais durante o verão. No inverno percebe-se uma redução dos efeitos da geada nestes ambientes”. Todo o projeto de produção de leite é desenvolvido com apoio e a orientação dos técnicos da Epagri. A assistência mostra também a importância de o produtor fazer um bom manejo da criação das terneiras.

O gerente regional da Epagri Jonas Marcelo Ramon diz que o objetivo é pensar na vaca do futuro, afinal são as terneiras que vão garantir a produção de leite dentrode dois anos. “É fundamental o produtor fazer uma criação de forma racional porque o custo é alto e enquanto elas não estiverem produzindo leite a família só tem despesas. Mas o investimento compensa pelo retorno que vai vir mais adiante”…

Planejamento e organização: é assim que a família Becker consegue obter o melhor rendimento na atividade leiteira. São apenas quatro anos que o casal trabalha com produção de leite. Pouco tempo, mas com trabalho, tecnologia e dedicação a propriedade foi toda estruturada e hoje recebe muitas visitas de quem quer ver de perto como administrar a pecuária leiteira com eficiência.

 Veja a matéria completa sobre o sistema Silvipastoril no Canal de TV da Epagri no YouTube.

 

Mais informações:emparaiso@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Epagri de Princesa e SC Rural promovem viagem educativa

princesaviagem1  

Com o objetivo de fomentar a produção de alimentos e a questão de preservação ambiental, a equipe da Epagri, no município de Princesa, com apoio do SC Rural, promoveu uma viagem educativa para agricultoras do município.

princesaviagem2

A primeira parada foi na linha Pessegueiro, no município de Guarujá do Sul, onde a família Taube está atuando há vários anos na  produção de hortaliças e atualmente se especializando na produção de morango.  A produção de hortaliças é comercializada na feira municipal e a de morango nos mercados da região sendo este o grande projeto inovador e de grande aceitação no mercado consumidor local e regional.

princesaviagem3 princesaviagem4

 A segunda visita foi realizada no CEPA – Centro de Estudos e Programas Ambientais, onde as participantes desfrutaram das belezas  e maravilhas  oferecidas pela natureza . Ao chegar, o grupo foi recepcionado pelos voluntários da ONG ÁGUA de Guarujá do Sul, que falaram sobre a história do local e a sua finalidade. Depois, todas participaram de momentos de descontração e adrenalina, andando na trilha que da passagem pela bela cachoeira e  andar de tirolesa.

Segundo relato de Rejane Luiza Gregianin Rigo, extensionista social da Epagri de Princesa, a viagem foi muito proveitosa. “As agricultoras contaram que saíram de casa com muito stress, preocupação e  conseguiram retornar alivias  e renovadas, com tanto aprendizado e conhecimento , que podem colocar em prática nas sas propriedades.


Mais informações: Epagri de Princesa - (49) 36443350 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3239 4170 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Epagri de Princesa realiza Dia de Campo em produção de leite a base de pastos perenes

princesadiadecampo3

Aconteceu no dia 10 de junho, no município de Princesa, no extremo oeste catarinense, um Dia de Campo sobre produção de leite a base de pastos perenes. O evento contou com a o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, gerência regional da Epagri de São Miguel do Oeste e do Programa SC Rural.

O evento foi realizado na propriedade da família de Marcelo e Eliane Becker, na Linha Sagrada Família, onde foi instalada  uma URT –Unidade de Referência Tecnológica apoiada pelo SC Rural e orientada pelos técnicos da Epagri local.

Na ocasião foram apresentadas aos agricultores e agricultoras presentes as orientações da Epagri com relação à produção de leite com base em pastagens perenes.

princesadiadecampo10

Na URT foram organizadas três estações onde os participantes receberam informações sobre:

1ª- Criação racional de terneiras e novilhas, instalações para criação, manejo da terneira ao nascer, aleitamento, fornecimento de ração e feno além de controles de desenvolvimento e manejo até o parto.

2ª- Produção de leite a pastos perenes, sombra e água nos piquetes.

Nesta estação, foram apresentados diversas informações com relação aos tipos de pasto e o manejo de implantação, dimensionamento dos piquetes, instalação de cercas elétricas, fornecimento de água nos piquetes, manejo do pasto e das vacas nos piquetes, adubações e implantação de sombra.

3ª- Ordenha higiênica, qualidade do leite, instalações.

A produção de leite com quantidade e qualidade é a meta de cada produtor que se dedica a está atividade. A higiene no momento da ordenha é fundamental para manter essa qualidade. A limpeza dos tetos e do úbere, dos utensílios e equipamentos é a maneira mais barata de evitar e solucionar problemas com a qualidade do leite. A instalação deve propiciar uma ordenha facilitada e que não comprometa a qualidade do produto final. Não precisa ser cara, mas deve possuir características de funcionalidade, praticidade, segurança e facilitar a limpeza em geral.

Além dos técnicos da Epagri do município, Leandro Nestor Hübner e Rejane Gregianin Rigo participaram da ação o técnico da Epagri no município de São José do Cedro, Claudinei Isoton e de Guarujá do Sul, Jonas Marcelo Ramon, além do Gerente Regional da Epagri de São Miguel do Oeste, João Carlos Biasibetti e o agrônomo da Prefeitura de Princesa, Silvio da Silveira.

Segundo os técnicos da Epagri local, o evento serviu para que as famílias pudessem conhecer e se motivar a desenvolver essas atividades em suas propriedades. “A produção de leite com baixos custos e com maior segurança é o objetivo principal deste modelo produtivo fomentado pela Epagri”, destacam os técnicos.

A partir de agora será dada atenção especial para os agricultores que participaram deste evento e que manifestarem interesse em adotar esta tecnologia em suas propriedades.

 

Mais informações: Epagri de Princesa – (49) 36443350 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3239 4170
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Epagri de Princesa realiza Dia de Campo em produção de leite a base de pastos perenes

princesadiadecampo7

 Aconteceu no dia 10 de junho, no município de Princesa, no extremo oeste catarinense, um Dia de Campo sobre produção de leite a base de pastos perenes. O evento contou com a o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, gerência regional da Epagri de São Miguel do Oeste e do Programa SC Rural.

O evento foi realizado na propriedade da família de Marcelo e Eliane Becker, na Linha Sagrada Família, onde foi instalada  uma URT –Unidade de Referência Tecnológica apoiada pelo SC Rural e orientada pelos técnicos da Epagri local.

Na ocasião foram apresentadas aos agricultores e agricultoras presentes as orientações da Epagri com relação à produção de leite com base em pastagens perenes.

princesadiadecampo4

princesadiadecampo10

Na URT foram organizadas três estações onde os participantes receberam informações sobre:

1ª- Criação racional de terneiras e novilhas, instalações para criação, manejo da terneira ao nascer, aleitamento, fornecimento de ração e feno além de controles de desenvolvimento e manejo até o parto.

2ª- Produção de leite a pastos perenes, sombra e água nos piquetes.

Nesta estação, foram apresentados diversas informações com relação aos tipos de pasto e o manejo de implantação, dimensionamento dos piquetes, instalação de cercas elétricas, fornecimento de água nos piquetes, manejo do pasto e das vacas nos piquetes, adubações e implantação de sombra.

3ª- Ordenha higiênica, qualidade do leite, instalações.

A produção de leite com quantidade e qualidade é a meta de cada produtor que se dedica a está atividade. A higiene no momento da ordenha é fundamental para manter essa qualidade. A limpeza dos tetos e do úbere, dos utensílios e equipamentos é a maneira mais barata de evitar e solucionar problemas com a qualidade do leite. A instalação deve propiciar uma ordenha facilitada e que não comprometa a qualidade do produto final. Não precisa ser cara, mas deve possuir características de funcionalidade, praticidade, segurança e facilitar a limpeza em geral.

Além dos técnicos da Epagri do município, Leandro Nestor Hübner e Rejane Gregianin Rigo participaram da ação o técnico da Epagri no município de São José do Cedro, Claudinei Isoton e de Guarujá do Sul, Jonas Marcelo Ramon, além do Gerente Regional da Epagri de São Miguel do Oeste, João Carlos Biasibetti e o agrônomo da Prefeitura de Princesa, Silvio da Silveira.

Segundo os técnicos da Epagri local, o evento serviu para que as famílias pudessem conhecer e se motivar a desenvolver essas atividades em suas propriedades. “A produção de leite com baixos custos e com maior segurança é o objetivo principal deste modelo produtivo fomentado pela Epagri”, destacam os técnicos.

A partir de agora será dada atenção especial para os agricultores que participaram deste evento e que manifestarem interesse em adotar esta tecnologia em suas propriedades.

Mais informações: Epagri de Princesa – (49) 36443350 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3239 4170
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Epagri de Princesa capacita agricultores para criação de terneiras e novilhas

princesaterneira1 princesaterneira2

O curso aconteceu no final de março e foi organizado pela Epagri local em parceria com a Secretaria de Agricultura do município de Princesa, localizado no extremo oeste do Estado.

Essa etapa teve a duração de 8 horas, nas quais o engenheiro agrônomo Jonas Marcelo Ramão, do Escritório Municipal da Epagri de Guarujá do Sul apresentou aos participantes as principais orientações que a empresa tem recomendado para criação racional das terneiras e novilhas.  “A criação correta destes animais terá efeitos positivos nas futuras vacas destinadas á reposição do plantel”, destaca Ramão.

Durante o curso, os participantes foram orientados sobre os primeiros cuidados com a bezerra ao nascer, corte e desinfecção do umbigo, colostragem e aleitamento, fornecimento de ração e feno bem como orientações sobre o local adequado de criação destes animais na fase inicial, descorna além de avaliação de crescimento e características desejáveis para uma boa vaca leiteira.

Segundo as orientações dos técnicos da Epagri, as terneiras devem ser mantidas em locais limpos, secos e que favoreça o manejo, bem como propiciem bem estar para o animal. Neste sentido, segundo o agrônomo, a melhor recomendação é a criação em cabanas individuais com disponibilização de cocho com ração, feno e sal mineral além de um piquete com aproximadamente 80 a 100m² por animal onde será também fornecido água e pasto perene ( grama) para que a terneira possa iniciar o pastejo.

Outro ponto importante destacado pelo extensionista da Epagri é a destinação de um local exclusivo para desenvolver as demais fases da criação das novilhas. Nesta área, fase 2, as novilhas ficam até 1 ano de vida. Essa área é dividida em 4 a 5 piquetes onde os animais ficam por 5 a 7 dias recebendo pasto perene a vontade e acesso ao cocho de alimentação onde recebem o concentrado e a suplementação se for necessário. Após está idade, elas passarão a fazer parte dos lotes de repasse nas pastagens onde as vacas fizeram o pastejo, realizando o importante trabalho de comer o que sobrou dos pastos. Isso ajuda muito no manejo uma vez que a grama terá possibilidade de rebrotar mais uniformemente além de ter um bom acréscimo de matéria orgânica pela deposição de fezes e urina e diminuir a mão de obra com roçadas.

Ainda segundo o extensionista é fundamental o melhoramento genético associado a uma criação adequada e um excelente controle reprodutivo e sanitário dos animais. A idade para cobertura é importante para que a futura vaca possa se desenvolver em estrutura e maturidade. Coberturas precoces podem gerar problemas de parto, estrutura física e reduzir a capacidade de produção das vacas.

Segundo os extensionistas da Epagri em Princesa Leandro Nestor Hübner e Rejane Luiza Gregianin Rigo, oprocesso de criação racional de novilhas faz parte de um programa que está sendo fomentado pela Epagri em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura onde se pretende que a família possa produzir leite com melhor qualidade, volume suficiente para gerar renda que sustente a família, com pouco impacto no meio ambiente proporcionando bem estar tanto para os animais quanto para a família.

Neste sentido, os técnicos recomendam a implantação de pastos perenes (gramas e capins), com piquetes definitivos, sombreamento e água direto nos piquetes. Com manejo adequado de pastejo, adubação e roçadas é possível se alcançar um nível de produção sustentável e desejável do ponto de vista econômico, social e ambiental.

Sobre este tema serão realizadas outras etapas de capacitação em um futuro próximo, buscando aperfeiçoar, melhorar os sistemas de produção que os agricultores possuem ou até mesmo implantar onde ainda não esta sendo desenvolvido desta maneira.

Ainda segundo os extensionistas da Epagri em Princesa ficou clara para os participantes a necessidade de ter um sistema eficiente de criação de terneiras e novilhas e que as futuras vacas da propriedade devem ser produzidas a partir do plantel que a família já possui.

 

Mais informações: Epagri de Princesa –(49) 3641 0038
Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3239 4170
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br