Arquivos da categoria: São José do Cerrito

Turcos compram gado de jovem empreendedor rural catarinense

sjcerritojovem1   

O jovem rural Andrigo da Luz de Souza, mora com sua família numa propriedade na Localidade de Erva Doce, município de São José do Cerrito, na Serra Catarinense, onde trabalha no desenvolvimento da pecuária de corte.

saojoaquimjovens

Em 2017, ele participou do curso de Liderança, Gestão e Empreendedorismo Rural, oferecido pela Epagri (Empresa de Pesquisa e Extensão Rural), com apoio do SC Rural e ministrado no Centro de Treinamento de São Joaquim. O curso tem como objetivo garantir que as melhorias nas propriedades continuem sendo implantadas, mudando a história das famílias e das comunidades rurais dos municípios.

sjcerritojovem4

Ao final do curso, Andrigo, com os conhecimentos adquiridos e a experiência da família, elaborou um projeto para tornar a propriedade em uma empresa rural, projeto este aprovado e passando a contar com apoio técnico da equipe da Epagri de São José do Cerrito. Investiu em tecnologia, melhoramento genético bovino e na pastagem. Além de adquirir equipamentos agrícolas.

O extensionista de São José do Cerrito, Severiano Pereira Neto, disse que normalmente os jovens que frequentam os cursos oferecidos pela Epagri são filhos de agricultores e conhecem bem a lida. “O curso é um incentivo para aqueles jovens que ainda estão na propriedade e ajudam a melhorar o que eles já vinham fazendo e gostam de fazer” explica.

Denizete Mota, que é extensionista social da Epagri no município, também faz visitas técnicas sistemáticas à propriedade, incluindo acompanhamento aos familiares. Hoje, a propriedade se tornou referência em planejamento, tecnologia e gestão. Além da atividade agropecuária a propriedade realiza todos os anos, evento turístico (rodeio), atraindo tradicionalistas de toda a região.

sjcerritojovem2

Desde o ano passado, o empreendedor rural Andrigo, está exportando para a Turquia. São terneiros (cruzamento das raças, Devon, Red Angus e Hereford) e deve fazer novo embarque entre fevereiro e abril, melhor período para o transporte, uma vez que a Turquia fica entre os continentes Europeu e Asiático.

No mesmo embarque, os turcos levam cerca de cinco mil cabeças oriundas de outras propriedades, também da Serra Catarinense. As compras acontecem no período de desmame, entre março e abril. Os bezerros têm até 10 meses e pesam entre 180 e 240 quilos.

sjcerritojovem3

Para Andrigo que, na sua lida diária, trabalha com oito familiares numa área de quase 50 hectares, a intenção é expandir e aumentar a produção. “Caprichando mais na linhagem dos touros, das próprias fêmeas, e das matrizes para dar mais cria de forma que se encaixe no gosto do comprador e amplie, assim, a nossa renda e melhore a vida no campo”, diz.

Segundo extensionista social da Epagri, Denizete Mota, o mais importante do que a geração de trabalho e renda no meio rural. "Isso faz com que o jovem do meio rural, tenha as mesmas oportunidades do jovem da cidade. Acesso à internet, telefone, informação, comunicação. “Ele tem dinheiro para lazer, o jovem também faz viagens. Melhor qualidade de vida no meio rural, o que antes não tinha, isso faz com que o jovem permaneça no campo, mas não por capricho, ou para evitar que vá para a cidade em busca de oportunidade, mas sem formação, se submete a trabalhos pesados, remuneração baixa, dificuldade de formar e sustentar uma família com qualidade, aglomerando-se nos bairros sem estrutura e agravando os índices sociais e, consequentemente, a qualidade de vida”, afirma.

Para a extensisonista, o agricultor tem que entender que sua propriedade é uma empresa, que produz, tem que dar lucro, atender às necessidades da família, com as mesmas oportunidades do jovem urbano. “Isso considero importante. Existem aqui no município outros valorosos exemplos de jovens empreendedores rurais, Thiago Lopes e Pedro Lopes ambos da localidade de Lajeado da Taipa e Márcio Camargo de São Geraldo, que investiram na produção de frango caipira, produção de orgânicos, com comercialização em toda a serra catarinense.

Os cursos

As inscrições para a 4ª edição dos cursos estão abertas. As aulas estão programadas para começarem em abril e podem participar para todos os jovens de famílias de produtores da Serra Catarinense. Fonte: Correio Lageano

 

Mais informações: emsaojosedocerrito@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Jovens comandam propriedades rurais em São José do Cerrito

sjcerritojovens

A equipe Epagri de São José do Cerrito iniciou o ano com orgulho das transformações que os jovens estão operando no meio rural.

Ao longo de 2018, jovens egressos do Curso de Liderança, Gestão e Empreendedorismo Rural, realizado com apoio do Programa SC Rural, participaram de atividades de capacitação continuada. O objetivo foi garantir que as melhorias nas propriedades continuem sendo implantadas, mudando a história das famílias e das comunidades rurais do município.

Durante o Curso de Liderança, Gestão e Empreendedorismo, os jovens adquiram conhecimento técnico e executaram projetos de melhoria das propriedades rurais. Esses projetos, que receberam recursos do SC Rural, contribuíram para despertar o empreendedorismo e o protagonismo dos agricultores em suas comunidades.

Para que o trabalho tivesse continuidade, cinco egressos da turma de 2016 – Daniel Ludwig, Márcio de Camargo, Andrigo de Souza, Welyton dos Anjos e Brayan Coelho – passaram a receber capacitação continuada da Epagri. A equipe da Empresa articulou a formação do grupo para promover a troca de experiências e a qualificação em encontros mensais. A capacitação abrange temas técnicos e também aborda gestão da propriedade, liderança na unidade familiar e na sociedade e protagonismo dos jovens como agentes de mudança no meio rural.

Colocando em prática o que aprenderam e inovando o modo de produzir com tecnologias, aquisição de materiais e equipamentos, os jovens agricultores conseguiram elevar a renda de suas famílias. “Em pesquisa realizada no município com jovens egressos dos cursos, percebe-se que aqueles velhos obstáculos, desmotivadores da permanência no campo, estão com os dias contados. Nessas propriedades não se fala mais em falta de renda, área de terras insuficiente, autoritarismo e falta de protagonismo dos membros familiares”, comemora 

Mais informações:  emsaojosedocerrito@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Programa SC Rural investe no Queijo Artesanal Serrano

queijoserrano

 

sjosecerritoqueijo1

A agricultora Hilda de Oliveira Correa, que vive em São José do Cerrito, aprendeu a produzir o queijo artesanal serrano ainda pequena, com a mãe e a avó. Ao longo dos anos, a fabricação do produto ganhou importância na propriedade e, hoje, representa a principal fonte de renda da família.

Hilda é uma das agricultoras que poderão ser beneficiadas pela Lei Estadual 17.003/2016, que regulamenta a produção e a venda do queijo serrano em Santa catarina, permitindo que o produto chegue legalmente à mesa dos consumidores. No dia 18 de maio, a lei foi apresentada em uma sessão na Câmara de Vereadores de Lages. A extensionista da Epagri Andréia Meira falou sobre a situação do Projeto Queijo Artesanal Serrano na região e as expectativas com a legalização de queijarias em vários municípios. O evento também contou com a participação do Sindicato Rural, da Associação dos Produtores de Queijo Artesanal da Serra Catarinense (Aproserra) e do Consórcio Intermunicipal da Serra Catarinense (Cisama). 

A Aproserra aprovou projeto estruturante junto ao Programa SC Rural, o que viablizou R$ 300 mil dos R$ 636 mil investidos na melhoria de 14 queijarias localizadas em Capão Alto (2), Lages (6), Palmeira (1), Ponte Alta (2), São José do Cerrito (2) e Cerro Negro (1). Além de possibilitar adequação a legislação sanitária e ambiental, foram feitos investimentos em capacitação e melhoria da produção leiteira nas propriedades. 

sjosecerritoqueijo2

Segundo Andréia, o trabalho desenvolvido pela Epagri com várias instituições parceiras tem apresentado bons resultados. Além disso, o acompanhamento às queijarias em processo de adequação e legalização está sendo positivo. “Com a regulamentação da lei e a conclusão do processo de construção e adequação das queijarias, os produtores poderão comercializar legalmente e os consumidores terão acesso a um produto de valor histórico, cultural e com segurança alimentar”, explica.

A lei poderá beneficiar mais de mil famílias cadastradas pela Epagri na Serra Catarinense. Ela cria regras que devem ser seguidas pelos produtores, como a obrigatoriedade do uso de leite de rebanhos próprios, a cura em temperatura ambiente em prateleira de madeira de araucária e sem pintura e queijaria de alvenaria construída distante de galinheiros e pocilgas. Além disso, a água utilizada deve ser potável, proveniente de nascente de cisterna revestida e protegida, ou de poço, canalizada até a queijaria e acondicionada em caixa d’água tampada.

Os membros da Aproserra são aqueles que têm como principal fonte de renda ou segunda atividade a produção de queijo serrano. Em parceria com o Programa SC Rural, 30 propriedades receberam apoio financeiro para fazer melhorias na produção. “A diferença é o uso de leite cru e, com isso, o controle de qualidade precisa ser muito maior. É necessário haver compromisso com a qualidade, a segurança alimentar e a capacitação do produtor rural”, explica Andréia.

Mais informações: Epagri – São José do Cerrito -  (49) 32896283 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

SC Rural apoia projetos de São José do Cerrito

sjosedocerritoprojetos

A Epagri de São José do Cerrito está trabalhando em três projetos estruturantes apoiados pelo Programa SC Rural para atender 69 famílias de agricultores do município.

Os projetos vão beneficiar as cadeias produtivas de olericultura orgânica, pecuária de leite e criação de frango caipira. “O objetivo do apoio é fomentar essas atividades que já são desenvolvidas pelas famílias”, explica Denizéte Monteiro de Lima Mota, extensionista da Epagri de São José do Cerrito.

Os projetos preveem melhoria das cadeias produtivas, aquisição de materiais e equipamentos, além da construção de empreendimentos agrícolas, como agroindústria, ponto de comercialização, galpões de classificação e estruturas de processamento de hortaliças. “Essa atividade envolve as equipes locais, regionais e estaduais da Epagri, que é a executora do programa. Mas todo este empenho será recompensado quando os agricultores forem atendidos”, diz Denizéte.

De acordo com a extensionista, os produtores de hortaliças orgânicas já estão estruturados e já comercializam seus produtos. “Com a agroindústria de processamento de hortaliças, eles poderão melhorar ainda mais a renda”, conta. No caso dos produtores de frango, os recursos serão usados, principalmente, para adequar e ampliar os aviários. E na pecuária leiteira, o objetivo é aumentar a produção.

O total dos investimentos nos projetos estruturantes somando os recursos do Programa SC Rural e a contrapartida dos produtores alcançam cerca de R$1,5 milhão. Agora, a equipe da Epagri e os agricultores aguardam o aval do Programa para iniciar a aplicação dos recursos.

Mais informações: Epagri de São José do Cerrito - (49) 3289 6283 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Famílias de São José do Cerrito recebem plantas de regularização fundiária

saojosecerritoregfunnd

No dia 06 de maio, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca realizou a entrega de 88 plantas de regularização fundiária para famílias rurais de São José do Cerrito.

O evento aconteceu na sala de reuniões da Secretaria de Educação do município e contou com a participação do vice-prefeito, Moacir Ortiz, do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Darceu Correia e do Diretor da Secretaria da Agricultura e da Pesca, Hilário Gotsleling.

Durante o evento Hilário Gotsleling ressaltou que no município existem propriedades sem a devida regularização e obter a escritura é um sonho de muitas famílias. “O objetivo do Programa é legalizar as áreas rurais trazendo maior segurança jurídica e tranquilidade aos moradores”, afirmou Gotsleling.

Em posse das de plantas de regularização fundiária, o agricultor deve procurar um advogado que utilizará os documentos para instruir a Ação de Usucapião. A ação faz parte do Programa de Regularização Fundiária, contemplado pelo Programa SC Rural.Fonte:Prefeitura Municipal

Mais informações:

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3239 4170
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br