Arquivos da categoria: Epagri

Engenheiro Agrônomo da Epagri publica livro sobre a transformação do campo

  epagrilivro2   

O engenheiro agrônomo da Epagri, Onévio Zabot, apresentou aos amigos do Governo do Estado a sua nova obra literária intitulada “Redescobrindo o Campo”. O ato aconteceu na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Joinville. Organizado pela secretária executiva do órgão, Simone Schramm, como forma de reconhecer e destacar o trabalho do servidor de carreira também frente aos seus convidados e irmãos de jornada.

epagrilivro3 epagrilivro5 epagrilivro4

Com 376 páginas, o livro teve revisão do professor Vital Poffo, diagramação do ilustrador Fábio Abreu e fotografia da jornalista Aires Carmem Mariga. A obra que permeia a transformação do campo e da agricultura como espaço de lazer, de fomento da economia, da produção de alimentos, da preservação da natureza e da revelação de empreendedores rurais e perpassa as atividades das mulheres no campo pode ser adquirida na Casa da Revista e na A Página Livrarias. “No livro apresento ao público artigos e textos do período entre 1980 e o primeiro semestre de 2017. Como filho de agricultores presenciei bons e maus momentos, momentos, sobretudo, de muita fé e esperança”, conta. Natural de Herval do Oeste, fez do campo uma experiência de trabalho árduo e continuado onde vivenciou a descontração, com os banhos de rios. Depois, em Iporã, Oeste do Paraná, teve contato com os cafezais e a erosão do solo. Como técnico passou pela vivência dos arrozais e bananais quando chegou às hortaliças, em Joinville.

“A carreira de engenheiro agrônomo surgiu como um desafio de entender o campo, o porquê das dificuldades. Formado eu fiz concurso na antiga Acaresc, hoje conhecida Epagri”, recorda o servidor. Foi com o perfil de liderança política que desempenhou outras funções públicas sempre vinculadas à agricultura. No período de recorte da obra, vivenciou a revolução no campo: menos agricultores e mais produção devido à mecanização e automação das atividades. Os números reforçam, em 1980 eram 50 milhões de toneladas de grãos e em 2017 supera as 240 milhões. Fonte:Ana Paula Keller/Assessoria de imprensa/Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville

Mais informações: grj@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Parcerias garantem preservação de 42 mil metros quadrados às margens do rio Camboim

smoesterio

Mais uma ação do Projeto de Restauração das Matas Ciliares do Rio Camboim e Afluentes foi realizada na quinta-feira (14), em São Miguel do Oeste. A programação aconteceu na sede campeira do CTG Porteira Aberta, na linha Gramadinho, com a participação de representantes de todos os parceiros da iniciativa.

O prefeito, Wilson Trevisan, o secretário municipal de Agricultura, Renato Romancini, o vice-prefeito, Alfredo Spier, e o diretor de Agricultura, Nédio Jeziorski, participaram das atividades. Na ocasião, cada parceiro fez o plantio simbólico de duas árvores no acesso ao local.

A extensionista da Epagri, Leonilda Villani, fez um relatório das principais ações já realizadas. De acordo com ela, foram construídos 7.049 metros de cerca de proteção às margens do rio, promovendo a preservação de 42.396 metros quadrados. Vinte propriedades, pertencentes a 18 famílias, participam do projeto. Também foram distribuídas 500 bombas de sementes e plantadas 500 mudas de árvores. Até agora, foram trabalhados quatro quilômetros da extensão do rio Lajeado Gramado e mais quatro quilômetros do rio Camboim. Em 2018, o projeto continua, com mais quatro quilômetros da extensão do rio Camboim, acima da estação de recalque da água da Casan.

O secretário de Agricultura, Renato Romancini, disse que a Administração Municipal está comprometida com ações de proteção ambiental. "Inclusive, incluímos no nosso Plano Plurianual a extensão de atividades como esta, para a recuperação e proteção de outros rios e nascentes do nosso município", informou.

O prefeito, Wilson Trevisan, agradeceu a participação de todas as entidades, instituições e empresas que estão envolvidas no Projeto. "O Poder Público não consegue fazer tudo sozinho. Precisamos da colaboração de todos, em iniciativas como esta", ponderou.

O Projeto de Restauração das Matas Ciliares do Rio Camboim e Afluentes é uma realização da Administração Municipal de São Miguel do Oeste, por meio da Secretaria de Agricultura; Sicoob; Epagri; Hotel Figueiras; Instituto Catuetê; Bolfe Engenharia; Casan; Escola Municipal Waldemar Antônio Von Dentz; e Polícia Ambiental, com o apoio de proprietários de terras às margens do rio.Fonte:Folha do Oeste

Mais informações: emsmo@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Frota pesqueira artesanal legalizada –SC Rural investe em segurança e navegação dos pescadores em Balneário Barra do Sul

barrasulpesca5 barrasulpesca  

Aconteceu no dia 13 de dezembro, na Câmara de Vereadores, em Balneário Barra do Sul, a Cerimônia de Entrega de Equipamentos do Projeto Piloto de Segurança e Navegação apoiado pelo Programa Santa Catarina Rural.

barrasulpesca4

Foram 27 pescadores artesanais beneficiários, sendo 26 de Balneário Barra do Sul e um de São Francisco do Sul. O projeto teve como objetivo promover a legalização de pescadores artesanais a luz das normas da autoridade marítima, de forma que, tenham os equipamentos necessários para garantir a segurança da navegação.

barrasulpesca1

Os equipamentos apoiados pelo Programa Santa Catarina Rural

Visando a proteção da vida humana através segurança na navegação os itens do projeto atendem as normas exigidas pela autoridade marítima, no caso, a Marinha do Brasil. São equipamentos do kit de Segurança e Navegação: aparelho de GPS com sonda e carta náutica, rádio VHF marítimo com antena articulada, agulha magnética, artefatos pirotécnicos, bandeira nacional, extintor de incêndio, boias salva-vidas, bomba de esgotamento, bateria 150 amperes, coletes salva-vidas classe V, refletor de radar, luzes de navegação e extintor de incêndio.

Foram R$196.344 mil investidos nas 27 embarcações pesqueiras artesanais, sendo que o Programa Santa Catarina Rural apoiou 80% e os pescadores 20% de contrapartida. Segundo Ditmar Alfonso Zimath, diretor técnico do Programa Santa Catarina Rural, foi um esforço muito grande de toda equipe técnica que o projeto fosse contemplado com recursos financeiros.

Segundo Zimath, é fundamental que os beneficiários entendam a importância do apoio do estado e utilizem da melhor forma os equipamentos adquiridos. Para José Eduardo Calcinoni, técnico da Epagri e executor do projeto, este é um marco nos trabalhos de extensão. “A Epagri executou dois projetos como esse: o nosso e outro em Bombinhas e Porto Belo. Não há iniciativas como essa os outros locais do Brasil. Esse é um trabalho pioneiro e faz parte de um novo eixo do programa Estadual de Pesca e Aquicultura. Em 2018 iremos quantificar os resultados desse apoio”.

As etapas do projeto

Aa primeiras ações do projeto foram visitas de identificação e palestra de mobilização. Foram documentos exigidos para enquadramento: documento e permissão de pesca da embarcação, Carteira de Habilitação da Marinha (CIR), DAP, Nota de Produtor Rural e Registro Geral de Pesca em dia. Após identificação do grupo foram capacitados em curso de Navegação com Utilização de GPS com sonda e Comunicação VHF.  Em seguida foram elaborados os projetos individuais e relatórios exigidos pelo Programa Santa Catarina Rural. “Esse é considerado o maior trabalho com pescadores artesanais realizado pela Epagri, em 2017”, destacou o gerente regional da Epagri de Joinville, Hector Haverrotch. 

Alto número de acidentes em 2017

Segundo relato de José Eduardo Calcinoni, Extensionista da Epagri de Balneário Barra do Sul somente neste ano ocorreram 15 acidentes com embarcações de pesca artesanal em Balneário Barra do Sul, sendo dois destes com perdas de vidas humanas. Fatores como o assoreamento da Barra, intempéries climáticas – como está sendo o caso das ressacas, falta de manutenção das embarcações, equipamentos e petrechos e a própria falta de atenção dos navegadores são as principais causas. A consulta da previsão do tempo é essencial para garantir a segurança da atividade pesqueira.

O projeto vem de encontro as carências dos profissionais do mar, atendendo as exigências da Marinha do Brasil e proporcionando maior eficiência na navegação, devido a utilização do aparelho de GPS com sonda. Para o Comandante Santana, da Capitania dos Portos de São Francisco do Sul o projeto é de extrema importância para a classe pesqueira. “Os equipamentos são de alta qualidade, porém, é preciso que utilizem com sabedoria”. Santana destaca que a Capitania dos Portos atua na parceria com os pescadores artesanais para que possam navegar seguros e evitar acidentes e relata: “Não há notícia mais triste que um telefonema de um familiar pedindo ajuda e dizendo que o parente não voltou da pescaria no mar”.Fonte:José Eduardo Calcinoni/Epagri- Balneário Barra do Sul

 

Mais informações: embarradosul@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

SC Rural beneficiou 27 famílias de produtores de leite de Peritiba

peritibascrural

A Epagri de Peritiba reuniu, no dia 27 de novembro, o Grupo de Produtores de Leite para reunião de avaliação dos resultados da aliança produtiva com aplicação dos recursos do SC Rural. Em 2017, as 27 famílias participantes receberam mais de R$250 mil do programa para melhorar o sistema produtivo e investiram valores semelhantes como contrapartida. Os investimentos resultaram em um aumento de 20% na produção e na renda dos produtores.

Com o recurso foram realizados investimentos em melhoria e adequação ambiental como construção de esterqueiras, captação e armazenamento de água da chuva e instalação de painéis solares. A maioria das propriedades também ampliou e melhorou a pastagem perene por meio da implantação de novas áreas e piqueteamento. Os demais investimentos foram em equipamentos como segadeiras, ensiladeiras, perfuradores de solo, tanques de expansão para resfriamento de leite, boiler, equipamento de ordenha e instalações de ordenha.

A reunião foi coordenada pelo extensionistas da Epagri Vania Franciele Sander e Carlos Dericeu Horn. O grupo avaliou como positivo o investimento do SC Rural, pois a partir das melhorias propostas pelo grupo na aliança produtiva muitas outras aconteceram nas propriedades. Tudo isso superou os resultados esperados e atendeu os objetivos principais de aumento da produtividade e renda, e principalmente de humanização do trabalho e otimização da mão de obra.

 

Mais informações: emperitiba@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Epagri garante capacitação de jovens rurais e do mar em 2018

epagricapacitação

Os jovens agricultores e pescadores catarinenses já têm capacitação garantida pela Epagri para o ano de 2018. Na terça-feira, 12, o presidente da Epagri, Luiz Hessmann, assinou em Brasília projetos propostos ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para qualificar jovens do meio rural e pesqueiro catarinense sobre produção, formas organizativas e protagonismo.

Hessmann esteve na capital federal para lançamento de ações do Ministério, e aproveitou a viagem para ratificar os projetos. Na ocasião, ele também representou a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), instituição em que assumiu a presidência em dezembro.

Os dois projetos somam R$ 1.531.000,00 e serão desenvolvidos em todos os 13 Centros de Treinamento que a Epagri mantém pelo Estado. Serão 350 jovens qualificados para se tornarem protagonistas em espaços representativos de organizações de suas atividades.

A Epagri trabalha na capacitação de jovens desde 2012, com foco nas temáticas de gestão, liderança e empreendedorismo. Após avaliação, a Empresa constatou que é necessário transformá-la em um processo continuado, cuja diretriz norteadora é incluir jovens do meio rural e pesqueiro como público prioritário e permanente da extensão rural catarinense.

Os projetos se propõem a dar continuidade a esta ação com 13 cursos, com duração de 220 horas cada, focando em três temáticas centrais – produção, organização e protagonismo. Como resultado, se espera contribuir com o fortalecimento do meio rural e pesqueiro de Santa Catarina.

Mais informações: www.epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Jaguaruna possui a maior produção de melancia do Estado

jaguarunamelancia1  

A maior produção culminando com uma das melhores frutas produzidas em Santa Catarina. Os dados são da Epagri, que faz um comparativo com outras regiões.

De acordo com o extencionista rural, Ermeson Evald, o solo arenoso de Jaguaruna contribui com estes números. "São aproximadamente 600 hectares cultivados em Jaguaruna, em média a produção fica em torno de 25 toneladas por hectare, mas tem produção que chega atingir até 40 toneladas", destaca Evald. A maioria vai para o interior de Santa Catarina e até para outros estados. De acordo com Ermeson os preços comercializados ficam na faixa de R$ 0,55 por quilo. "A melancia é uma fruta que varia muito de preço, tudo depende da demanda e da oferta, quem vende em maior quantidade, geralmente tem um valor mais reduzido, quem vende aqui para a região em menor quantidade, quase sempre consegue preço melhor", conclui o extensionista. 

jaguarunamelancia2

O agricultor Reginaldo Baldissera cultiva a lavoura há 16 anos, para ele a safra deste ano, apesar da invasão de algumas pragas, tem sido razoável. "O clima foi favorável, os valores estão satisfatórios, o problema é que bateu uma doença forte, uma tal de murchadeira, que prejudicou bastante a produção". Reginaldo cultiva em aproximadamente 25 hectares de terra, tudo arrendado. Para ele, o plantio da melancia é uma forma de diversificar o trabalho na lavoura, e mesmo tendo que pagar a renda, acaba sendo satisfatório. "Nós cultivamos melancia, mandioca e arroz, dá para conciliar uma safra da outra e assim ficamos com uma produção agrícola bem diversificada", conclui.

jaguarunamelancia3

Já o agricultor Jovânio dos Anjos acredita que o preço este ano está bom. Ele vende a produção para Itajaí e Curitiba. "O preço, este ano, não dá para reclamar, conciliando com o clima favorável está bom", diz o agricultor, que também teve problema com a doença murchadeira, que danificou parte do plantio.

O responsável pela Secretaria da Agricultura de Jaguaruna, Tiago Garcia Cruz, enfatiza a disponibilidade de equipamentos da repartição como uma forma de compensar o pequeno agricultor. "A patrulha agrícola do município disponibiliza máquinas e equipamentos como forma de contribuir com a produção do pequeno agricultor, além de alguma assistência técnica juntamente com a Epagri. Estamos sempre à disposição dos agricultores", ressalta.Fonte: REDAÇÃO FOLHA REGIONAL/Foto: Jorge Pereira/ FR

 

Mais informações: emjaguaruna@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Associação de Produtores Feirantes de Chapecó – APROFEC recebe investimentos coletivos do SC Rural

chapecofeira1

chapecofeira9

Aconteceu na manhã do dia 21 de novembro de 2017, na propriedade rural da Família Zamboni, em Chapecó, o ato de entrega das 1820 caixas de transporte adquiridas através de um projeto estruturante do Programa SC Rural.

A Aprofec foi beneficiada duas vezes pelo Programa, sendo investidos mais de R$ 990.000,00, entre os valores investidos pelo Governo do Estado e a contrapartida das famílias. Foram duas propostas coletivas e 22 propriedades apoiadas diretamente nos dois Projetos Estruturantes.

chapecofeira3   chapecofeira11

A extensionista rural da Epagri, no município de Chapecó, engenheira agrônoma Caroline Möller Scholz, relata que a opção de adquirir as caixas, plásticas e térmicas, se fez pela necessidade de acondicionar e transportar os alimentos de forma adequada para os 10 pontos de feira que existem no município. "Essa era uma necessidade de todas as 64 famílias da Associação e as caixas foram adquiridas em cinco modelos diferentes conforme as atividades das famílias produção de verduras, hortaliças, frutas, laticínios, carnes, panificados, derivados de cana-de-açúcar, polpas, sucos, doces e geleias, entre outros". 

chapecofeira10

Este investimento em caixas, totalizou R$ 63.580,50, sendo que 50% foram recursos do Programa SC Rural e o restante a contrapartida da Associação.

Segundo a vice-presidente da Associação, Neusa Bergamin, estes projetos foram muito importantes para a Aprofec e seus associados e na sua fala, durante o ato de entrega, destacou a importância da parceria com a Epagri para o fortalecimento das organizações da agricultura familiar.

"O apoio do SC Rural foi fundamental no processo de legalização das agroindústrias familiares, garantindo o acesso das famílias aos mercados e, em muitos casos, viabilizando a permanência no meio rural. De forma muito especial, dos jovens rurais", destaca a extensionista rural da Epagri, engenheira agrônoma Caroline Möller Scholz.

 

Mais informações: emchapeco@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Epagri de Timbó – ações focadas no homem do campo

 timboações1

Com foco em auxiliar e informar a Epagri de Timbó, através da extensionista, Kátia Zimath de Mello, tem se empenhado em fortalecer o setor agrícola. Em entrevista a profissional afirma que todos os integrantes da Epagri de Timbó trabalham junto às famílias rurais inseridas no município de Timbó.

"Este ano tivemos um enfoque maior no resgate de raízes e tubérculos cultivados e outros produtos de subsistência. Foi feito um seminário abordando este tema, com exposição de raízes (taía, mangarito, batata doce, aipim, cará, inhame, entre outras)", explica ela ao informar que também foram realizadas oficinas, cursos, palestras de produção e transformação de alimentos, troca de informações, experiências das participantes e integração grupal.

timboações

Kátia adianta que em 2018 será dada continuidade ao trabalho resgatando material e conhecimento das famílias que vão se perdendo entre as gerações. "Sempre ficamos gratificados com a participação, a presença e a colaboração destas famílias que ainda fazem parte da pequena área agrícola do nosso município, mas que aprenderam a se valorizar e dar a sua contribuição", destaca a profissional ao comentar que estão sendo realizados encontros de encerramento nas comunidades de Pomeranos/ São Roque, Mulde Alta, Mulde Central, Cedro Margem Esquerda e no Grupo de Tiroleses. "Essa constante integração das famílias auxilia na sua valorização pessoal, na cidadania, motivando e sensibilizando para melhoria do convívio familiar e comunitário".

Kátia informa ainda que os profissionais da Epagri também estiveram envolvidos no atendimento aos produtores rurais do município de Timbó, bem como inúmeros outros interessados no plantio e busca de informações, que aparece como uma alternativa de renda para pessoas de origem urbana, e de subsistência para a família na obtenção produtos saudáveis. "Também foram atendidas as associações (Assagro e Proorg), que participam da Feira Livre do município e cooperativas de Leite e Peixe, fornecedores de produtos para a merenda escolar junto ao Programa Nacional de Alimentação Escolar. "A Epagri também está presente com a colaboração direta da Pesquisa Agropecuária, que apoia e orienta os técnicos e produtores dos municípios. Além da obtenção de recursos do SC Rural para a realização de eventos no município e conclusão da nova Unidade da Cooperativa de peixe".

Agricultura familiar

De acordo com a extensionista, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação, foi realizado treinamento com 140 profissionais (merendeiras e auxiliares), orientando e fazendo na prática o preparo de alimentos adquiridos da agricultura familiar para a merenda escolar. "Tivemos no mês de julho uma semana voltada à Agricultura Familiar através de seminários e palestras de Raízes, piscicultura, horticultura e políticas públicas referentes ao Dia do Colono festejado naquele mês. Foram dias alternados com a participação dos agricultores do nosso município e também de municípios vizinhos".

A profissional relata ainda que atendendo a uma demanda dos feirantes e demais produtores que comercializam produtos, foi realizado um curso de Boas Práticas, orientando a forma correta de limpeza, higiene, embalagens, transporte, acondicionamento e venda de produtos. Este curso foi ministrado por um profissional da Epagri, engenheiro de alimentos, que deu as orientações e informações sobre todo o processo.Fonte Clarice Graupe Daronco / Jornal MedioVale

Mais informações:emtimbo@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Epagri de Araranguá avalia atividades em 2017

araranguaepagri1

araranguaepagri2 

A comunidade de Sanga da Toca, em Araranguá, sediou uma reunião com as lideranças do meio rural do município de Araranguá, promovida pela Epagri, em conjunto com a Uneagro e Prefeitura Municipal de Araranguá, para avaliação das atividades desenvolvidas pela Epagri em 2017.

Os extensionistas do escritório local, engenheiro agrônomo Homero Rock Bosh Júnior e extensionista social Marinesa Freitas, relataram as ações e políticas públicas desenvolvidas pela empresa, destacando o trabalho técnico com a cultura da mandioca, maracujá, olerícolas e bovinocultura de leite, assim como os desafios e tendências da agricultura para as próximas safras. Eles também falaram sobre o aporte de recursos governamentais através do programa Terra Boa (calcário, sementes de milho e kit forrageiras).

araranguaepagri3

De acordo com o agrônomo Homero, para 2018 a prioridade das ações da Epagri serão fruticultura e olericultura e algumas ações na área de pecuária de leite e corte. O planejamento das atividades foi realizado baseado em uma consulta à população que aconteceu no mês de outubro.

A Uneagro (Cooperativa dos Engenheiros Agrônomos e de Profissionais em Desenvolvimento Rural e Ambiental) também relatou o trabalho desenvolvido durante o ano no município.

Na oportunidade, as lideranças demonstraram as preocupações com a agricultura do município, resgataram histórias e dinâmicas passadas para refletir sobre o atual momento e as estratégias para obter o sucesso nas atividades que desenvolvem.

Mais informações: emararangua@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Parabéns, Extensionista Rural!

 extensionista1

Para celebrar o Dia Nacional do Extensionista Rural, a Secretaria Executiva Estadual do Programa SC Rural parabeniza a todos os profissionais, especialmente os que atuam em Santa Catarina, e que semeiam conhecimento e possibilitam a criação e emplementação de políticas públicas que promovem o desenvolvimento rural sustentável do nosso Estado.

O Dia Nacional do Extensionista Rural foi instituída pelo governo federal, em 1948, como forma de homenagear e reconhecer esse importante agente de desenvolvimento rural sustentável. 

Extensão Rural é o processo de estender, ao povo rural, conhecimentos e habilidades, sobre práticas agropecuárias, florestais e domésticas, reconhecidas como importantes e necessárias à melhoria de sua qualidade de vida. A própria justificativa para a existência de um serviço de extensão é o de estimular a população rural para que se processem mudanças em sua maneira de cultivar a terra, de criar o seu gado, de administrar o seu negócio, de dirigir o seu lar, de defender a saúde da família, de educar os seus filhos e, por fim, de trabalhar em favor da própria comunidade.

No Brasil, mais de 5 mil unidades de atendimento da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer) beneficiam mais de 2 milhões de produtores rurais.

extenionista2

extenionista3

Artigo de Paulo Roberto Lisboa Arruda/Engenheiro-agrônomo, diretor de extensão da Epagri

“O serviço oficial de extensão rural catarinense nasceu em 29 de fevereiro de 1956. Atualmente esse serviço é uma responsabilidade da Epagri, que mantém a extensão rural focada no aumento da produtividade agrossilvipastoril, na organização dos agricultores, na educação ambiental e alimentar da sociedade, no trabalho das questões de gênero e geração das populações rurais, na agregação de valor da atividade e na produção agropecuária, entre outras ações.  Fomos o primeiro serviço de extensão pesqueira do Brasil, por meio da Acarpesc, motivo de orgulho para todos os epagrianos.

A extensão rural pública é um serviço de construção e transferência do conhecimento, através de diferentes métodos de comunicação. Busca continuamente a inserção de inovações e tecnologias no meio rural, sem vínculo com a cadeia de insumos, primando pelos pilares do desenvolvimento sustentável ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. A atividade está fundamentalmente focada nas pessoas e no incremento de políticas públicas.

A extensão rural contemporânea tem uma visão voltada para resultados que atinjam diretamente a sociedade, através do uso de metodologias e ferramentas modernas, como planejamento estratégico, gestão de processos, gestão de projetos, avaliação de desempenho, tudo para fortalecer a cultura da eficácia e da eficiência nas atividades e ações.

Em 2016, atendemos 114.422 famílias agricultoras e 2.824 entidades ligadas ao meio rural, com um contingente de 620 extensionistas rurais. Nossos parabéns a esta equipe! O engajamento e comprometimento de cada um, no desenvolvimento do seu trabalho junto às comunidades rurais catarinenses, é o apoio fundamental para construção e aplicação de políticas públicas capazes de transformar as condições ambientais, sociais e econômicas do nosso estado.”Fonte:www.epagri.sc.gov.br

 

Mais informações:

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br