Arquivos da categoria: arroz irrigado

Armazenamento de água traz segurança para jovem produtor de arroz

novavenezajovemarros2   

Uma reserva que vale ouro para quem trabalha com arroz irrigado. A cultura é muito exigente em água pois o sistema de produção utilizado pelos agricultores catarinenses é o pré-germinado e a água entra na lavoura antes da semeadura.

novavenezajovemarroz4

Também depois da aplicação dos herbicidas é necessária a reposição de água para que não ocorra reinfestação das plantas daninhas. Assim explica o extensionista rural da Epagri Donato Lucietti sobre a importância da disponibilidade de água na cadeia produtiva de arroz em Santa Catarina.

Para não ficar dependente das condições do tempo, o jovem rural Marcos Augusto Mondardo Dal Molin, do município de Nova Veneza, decidiu que antes de aplicar recursos na compra de maquinário agrícola era preciso investir em armazenamento de água. Marcos mora na comunidade São Bonifácio que era chamada Vila Seca porque é um local que apresenta escassez de água. As famílias dependem unicamente de um córrego e uma semana sem chuva é problema certo.

novavenezajovemarroz1

Como tem épocas que chove muito na região, o jovem produtor está armazenando água em açudes construídos em vários pontos da propriedade. Até o momento são 10 açudes com uma lâmina de água de 4,5 hectares. A meta de Marcos é chegar a oito hectares. Ele diz que para cada 15 hectares de lavoura de arroz, o ideal é ter um hectare de lâmina de água armazenada, uma reserva correspondente entre 30 e 40 metros cúbicos de água.

novavenezajovemarroz3

Marcos conta como tudo começou. “Meu pai trabalha com produção de arroz há 30 anos e eu comecei há 10 anos. Em 2016 participei do curso da Epagri para juventude rural e comecei a ver a propriedade com outros olhos”, relata o jovem. Assim que retornou do curso Marcos falou com o seu pai João Valcir Dal Molin sobre o que era prioridade na produção de arroz. E, em conjunto, decidiram que o mais importante era investir em armazenamento de água, dando-lhes autonomia e segurança no processo produtivo.

O irmão de Marcos, Juliano Mondardo Dal Molin, que é presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, em Nova Veneza, recomenda que antes de fazer um reservatório de água o produtor busque orientação junto aos órgãos ambientais do município porque é preciso fazer de acordo com a legislação ambiental.

Tecnologia, qualificação profissional e visão de futuro! Marcos é o perfil do novo agricultor catarinense que tem a Epagri como parceira no desafio de produzir com sustentabilidade. São jovens como ele que assumem a agricultura com competência e a responsabilidade de pensar no amanhã.

Veja a reportagem completa sobre armazenamento de água na produção de arroz no Canal da Epagri no YouTube.

Mais informações: emnovaveneza@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Iniciou a colheita de arroz em Santa Catarina e Epagri lança cultivar de arroz branco

  jacintomachadoarroz jacintomachadoarroz2

Segundo maior produtor nacional de arroz, o Estado espera uma safra de 1,1 milhão de toneladas em 143 mil hectares plantados. O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa, e a presidente da Epagri, Edilene Steinwandter, participaram da abertura oficial da colheita de arroz, na terça-feira (6), durante o Campo Agro Acelerador da Cooperja, em Jacinto Machado.

A expectativa é de que a produção catarinense seja 2,2% menor em relação à safra 2017/18 – lembrando, que as safras anteriores estiveram bem acima da média.

O arroz se tornou ainda um importante item da pauta de exportações de Santa Catarina. No último ano, o estado embarcou 83,9 mil toneladas de arroz e derivados.Esse volume equivale a US$ 24,7 milhões. Os principais mercados para o arroz Catarinense são: Venezuela, Africa do Sul e Trinidad e Tobago.

 

Cultivar SCS124 Sardo 

arroz sardo 1

Na ocasião, a Epagri lançou seu primeiro cultivar voltado para o mercado de arroz branco. O SCS124 Sardo tem características que vão agradar os produtores, a indústria e os consumidores. Ele reúne boa produtividade (média de 8.754kg/ha), ciclo médio, bom aspecto na prateleira, bom desempenho na panela e ótimo sabor. O lançamento será realizado na abertura da safra do arroz em Jacinto Machado, no Campo Demonstrativo Coperja.

O arroz SCS124 Sardo é classificado como longo-fino, tem excelente relação comprimento-largura do grão e suas plantas possuem resistência média à brusone. “Ele é recomendado para todas as regiões produtoras de arroz irrigado de Santa Catarina, podendo também ser cultivado em outras regiões do Brasil mediante realização de ensaios de Valor de Cultivo e Uso”, explica Alexander de Andrade, coordenador da equipe de pesquisa em arroz na Estação Experimental de Itajaí.  

Por ser branco, o SCS124 Sardo será mais uma opção para os produtores catarinenses oferecerem às indústrias de beneficiamento. Hoje, cerca de 76% do arroz beneficiado em Santa Catarina é colhido no Estado e a maior parte é voltada para a parboilização. Da parcela restante, importada do Rio Grande do Sul e do Mercosul, a maior parte é de arroz branco. “Com o lançamento desse cultivar, as indústrias aqui do Estado vão precisar importar menos grãos para produzir arroz branco”, diz Alexander.

Esse é o 32º cultivar de arroz irrigado desenvolvido e lançado pela Epagri e o 24º desenvolvido para Santa Catarina. A denominação é uma homenagem à família Sardo, que atuou na equipe de pesquisa em arroz da Epagri e na Estação Experimental de Itajaí por várias gerações. O lançamento é resultado de 14 de anos de trabalho, iniciados com os primeiros cruzamentos na safra 2005/06.

Embora seja destinado ao mercado de grão branco, o Sardo é adequado ao processo de parboilização, com a recomendação de que seja beneficiado separado de outros cultivares. O cultivar foi testado quanto ao comportamento industrial no Laboratório de Pós-Colheita, Industrialização e Qualidade de Grãos da UFPel – LabGrãos, e considerado compatível com esse processo. 

arroz sardo 2

Os grãos também foram analisados na Estação Experimental de Itajaí e na Embrapa (CNPAF). “O SCS124 Sardo apresentou excelente desempenho sensorial e culinário para arroz branco, comparável com os cultivares de referência do mercado”, destaca Alexander.           

Safra e mercado

De acordo com Gláucia Padrão, economista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), a expectativa é que os produtores de arroz catarinenses tenham uma boa colheita na safra 2018/19. “Será uma safra considerada normal. A previsão é que seja menor que as duas últimas, pois elas estiveram bem acima da média”, explica. De acordo com a estimativa, os catarinenses devem colher cerca de 1,156 milhão de toneladas em 143,3 mil hectares, contra 1,188 milhão de toneladas em 146,9 mil hectares da safra anterior (2017/18).

 Sementes

As sementes do SCS124 Sardo estarão disponíveis para os agricultores na safra 2019/20. Para mais informações sobre a disponibilidade desse material, é preciso entrar em contato com a Associação dos Produtores de Sementes de Arroz Irrigado (acapsa@acapsa.com.br ouwww.acapsa.com.br). 

 

Mais informações: Epagri/Estação Experimental de Itajaí – alexanderandrade@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Epagri inaugurou, em Itajaí, novas instalações da Unidade de Beneficiamento de Sementes de Arroz

Unidade Beneficiamento de Arroz EEI_1 - Foto Divulgação Epagri

A Estação Experimental da Epagri em Itajaí (EEI) inaugurou na sexta-feira, 30, sua nova Unidade de Beneficiamento de Sementes de Arroz (UBS).

O evento marcou o início oficial das atividades dessa Unidade, cujo grande diferencial é o sistema de automação em todo o processo de beneficiamento, que permite mais agilidade, segurança e rastreabilidade.

A EEI contava com uma unidade de beneficiamento de sementes de arroz desde a década de 1980. Mas, considerando os anos de uso, o prédio estava deteriorado e os equipamentos eram superados. O prédio foi reformado para receber a nova UBS, com renovação da cobertura, piso, paredes e portas. Foram instalados novos equipamentos, projetados para atender a real necessidade dos pesquisadores da EEI.

São 588,71 metros quadrados de área construída, com espaços para recepção, pré-limpeza, secagem e beneficiamento de sementes. Há ambiente próprio para armazenamento, sala de engenho de prova, fornalha de secagem, além de setores de ensacamento, pesagem e apoio.

A unidade tem a capacidade de receber até quatro cultivares simultaneamente. Entre os equipamentos novos, conta com máquinas de pré-limpeza e de limpeza, mesa densimétrica e elevadores sem poço. Também foi instalado um secador intermitente com sistema automático de secagem a gás, visando melhor controle da temperatura durante o processo.

Foram investidos R$ 917.631,14 na reforma do prédio e aquisição dos equipamentos. Os recursos foram aportados por meio de projeto aprovado pela Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep).

“Na UBS serão beneficiadas e classificadas as sementes de arroz das variedades desenvolvidas pela Epagri para as diferentes condições de clima e solo de Santa Catarina”, descreve Alexander De Andrade, Coordenador da Equipe de Pesquisa do Projeto Arroz da EEI. Segundo ele, esse processo vai garantir ainda mais qualidade às sementes de origem genética e básica produzidas pelos pesquisadores. Alexander explica que quem ganha são os agricultores, que terão ainda mais certeza da qualidade das sementes que comprarão das empresas certificadas pela Epagri para multiplicação e revenda do material.

A nova UBS recebeu o nome de Urbano Franzner, um agricultor com espírito empreendedor que em 1960 fundou a Urbano Agroindustrial, que atua no beneficiamento de arroz, feijão e macarrão de arroz. É uma das três maiores beneficiadoras de arroz do Brasil, com matriz em Jaraguá do Sul e filiais no Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, São Paulo e Paraná.

arroz

Arroz irrigado

Santa Catarina é o segundo maior produtor de arroz irrigado no Brasil. A qualidade das sementes disponibilizadas para os agricultores é um dos motivos desse resultado.

Ao longo de sua história a Epagri já desenvolveu 31 cultivares de arroz, 23 deles lançados especificamente para as condições de Santa Catarina. Destes, 12 seguem com recomendação de cultivo, já que os mais antigos acabam se tornando obsoletos com o desenvolvimento de novas pesquisas.

Graças ao trabalho da Epagri, o Estado tornou-se um exportador de sementes de arroz de qualidade. “Mais de 50% das sementes produzidas aqui são exportadas para o Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhã e Vale do São Francisco, além de outras regiões” enumera Alexander. No Estado catarinense, 80% das lavouras de arroz utilizam cultivares desenvolvidos pela Epagri.

Em Santa Catarina a cultura do arroz irrigado se destaca pela sua importância social e econômica. Mais de 8 mil famílias de pequenos e médios agricultores, distribuídos em 65 municípios, têm a atividade como sua principal fonte de renda. O Estado detém um dos mais elevados índices de produtividade do Brasil com 7,85 toneladas por hectare. Fonte:Epagri

Mais informações: eei@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

7º Seminário do Arroz irá reunir produtores e técnicos em Massaranduba

massarandubaarroz1

O arroz é a cultura agrícola com maior área e número de produtores no Litoral Norte Catarinense, com área aproximada de 34 mil hectares e produção média de 316 mil toneladas. A cada dois anos acontece o Seminário Regional do Arroz Irrigado, nomunicípio de Massaranduba, durante a realização da Fecarroz.

Este ano está marcad0 para o dia 26 de abril, na Sociedade Onze União, no Bairro Patrimônio, uma realização da Epagri, Secretaria de Agricultura e Prefeitura, junto com apoiadores. 

massarandubaarroz2

O evento começa às 15h. Uma hora depois a primeira palestra trata sobre o tema "Arrozeiro, lavoura boa começa na entressafra!", com o agrônomo Douglas George de Oliveira, líder do projeto Arroz,na região Sul do Estado. Em seguida a pesquisadora da Epagri, Ester Wickert, falará sobre "SCS 123 Pérola, cultivar de arroz especial", lançada este ano. A programação continua com a palestra motivacional de Ainor Lotério e fecha com sorteio de brindes entre os participantes. Às 19h30min, a solenidade de abertura da 16ª Fecarroz e jantar.Fonte:Jornal do Vale do Itapocu

 

Mais informações: emmassaranduba@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Profissional da Epagri de Araranguá palestra em evento internacional

araranguapalestra

O engenheiro agrônomo da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) de Araranguá, Douglas George de Oliveira, palestrou, na Conferência Internacional do Arroz Orgânico, que aconteceu dos dias 13 a 16 de março, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Esta é a terceira conferência, que tem uma periodicidade de dois em dois anos, a primeira edição ocorreu na França e a segunda na Itália.

Participam da exposição pesquisadores e trabalhadores do setor de arroz orgânico de todo o mundo. Douglas explanou para os presentes sobre as experiências e trabalhos de sucesso realizados na Epagri de Araranguá. “Nosso caso de sucesso aqui é o arroz orgânico cultivado em parceria com os marrecos Pequim, que nos ajudam na limpeza da área”, contou Reginaldo Guellere, gerente da Epagri de Araranguá. Segundo Reginaldo, a produção de arroz orgânico na região tem aumentado.

 

Mais informações:cetrar@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Dia de Campo Cravil apresenta ensaio para cultivar destinada ao arroz branco

 cravilarroz1

Dia de Campo Cravil acontece nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro No Polo Tecnológico Cravil, no município de Lontras, Alto Vale do Itajaí

cravilarroz

Uma das novidades do Dia de Campo Cravil está na área destinada a cultura do arroz. Este ano, além das variedades tradicionais de arroz cultivados na região, materiais desenvolvidos pela Epagri, incluindo o mais recente, SCS 122 Miúra, a Cravil implantou dois ensaios com cultivares destinadas ao beneficiamento para arroz branco. “Temos o lançamento da cultivar da empresa Oryza, o Primoriso CL e também o material do Instituto Rio Grandense de Arroz, o Irga 424 CL. As duas variedades são de ciclo mais precoce que as cultivares tardias utilizadas em Santa Catarina”, explicou o engenheiro agrônomo Cravil, Gentil Colla Junior.


A cultivar Irga já é de conhecimento de alguns produtores do Vale do Itajaí, mas não obteve bom desempenho em outras oportunidades. Contudo, o lançamento Primoriso CL, por enquanto, está entregando o que promete em termos de lavoura: boa sanidade e perfilhamento adequado. “O Rio Grande do Sul é o grande produtor dessas cultivares que se destinam ao arroz branco, em nossa região ainda não encontramos um material que se adeque a nossa realidade, por isso, a importância destes ensaios, avaliando de forma técnica o desenvolvimento delas no Polo Tecnológico”, ressaltou Colla.

Ao todo, serão nove variedades de arroz expostas no Polo Tecnológico Cravil. Atualmente, 60% da área de cultivo de arroz na região do Vale do Itajaí utilizam a cultivar SCS 121 CL, outros 20% optaram pelo SCS 122 Miúra e os outros 20% se dividem entre as outras variedades Epagri.

Curva de Densidade
Outra parcela que deve chamar a atenção dos produtores na área de arroz no Dia de Campo Cravil é o ensaio da curva de densidade da cultivar SCS 122 Miúra. “Sempre que temos uma nova variedade no mercado procuramos identificar a densidade ideal para se conseguir a melhor produtividade. Ou seja, quantos quilos de semente são necessários por hectare para que a variedade expresse o máximo de componentes de rendimento: perfilhos, panícula, grão e peso de grão”, explicou o engenheiro agrônomo Cravil, Gentil Colla Junior.

Algumas cultivares, as mais antigas em sua maioria, tinham como curva ideal 180 quilos de semente por hectare. Atualmente a curva está entre 110 e 120 quilos de semente por hectare, número que deve se confirmar também para a cultivar SCS 122 Miúra na avaliação feita no Polo Tecnológico Cravil. A safra 2017/2018 é o primeiro ano de lavouras comerciais para esse material, o segundo da cooperativa na produção de sementes.Fonte: Cravil 

 

Mais informações:http://www.cravil.com.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Produtores de arroz irrigado participam de capacitação em Itajaí

 itajaiarroz2

De 25 a 28 de julho estiveram reunidos na Epagri/Cetrei – Centro de Treinamento de Itajaí, 31 produtores de arroz irrigado de Santa Catarina, para o curso anual de arroz irrigado em sistema pré-germinado.

Santa Catarina é referência nesse sistema de cultivo, sendo que dos 149 mil hectares de arroz irrigado do estado, aproximadamente 80% são em sistema pré-germinado.

Para a realização do curso são utilizadas as estruturas do Centro de Treinamento e da estação de Pesquisa da Epagri de Itajaí. Os instrutores são funcionários da Epagri que trabalham diversos temas relacionados à cultura. Foram abordados temas como legislação relacionada à cultura do arroz, melhoramento genético e sementes, efeitos do clima sobre a cultura, economia da atividade, manejos da lavoura de safra e entressafra relacionados à fertilidade do solo, plantas daninhas, insetos, doenças, colheita e pós colheita e como trabalhar a cultura de arroz irrigado para produção com o mínimo de impacto ao ambiente, com geração de renda ao produtor e toda a cadeia produtiva e, principalmente, para que a atividade cumpra seu papel social de gerar alimentos de boa qualidade à preço acessível.

itajaiarroz1

Os instrutores do curso têm formação e qualificação pelo trabalho desenvolvido no dia-a-dia que garante a possibilidade de diálogo com os agricultores trazendo a teoria e suprindo as dúvidas relacionando os temas à prática, com isso durante todo o curso houve grande debate dos assuntos entre os agricultores e dos agricultores com os instrutores, aumentado assim a efetividade do curso.

Participaram como instrutores os engenheiros-agrônomos Dr. José Alberto Noldin, Dr. Klaus Konrad Scheuermann, Dr. Eduardo Rodrigues Hickel, Dr. Marcos Lima Campos do Vale, Dra. Gabriela Neves Martins, Dra. Fabiana Schmidt, Dr. Rubens Marschalek, Esp. Hector Silvio Haverroth e a economista Dra. Glaucia de Almeida Padrão.

Segundo o engenheiro agrônomo Hector Silvio Haverroth, coordenador e instrutor do curso, os agricultores foram unânimes em dizer que o curso foi um momento importante para atualização profissional e que, com as informações recebidas sentem-se mais seguros para realizar algumas mudanças no sistema produtivo em suas lavouras buscando redução de custos e adequações ambientais.

O curso de arroz irrigado para agricultores é oferecido pela Epagri anualmente, no mês de julho. Contou com a parceria da Gerencia Regional de Joinville, Gerência de Pesquisa de Itajaí, Cepa, Cetrei e escritórios Municipais e foi apoiado financeiramente pelo Programa Santa Catarina Rural, sendo que os agricultores receberam o curso, material bibliográfico, alimentação e hospedagem gratuitamente.

 

Mais informações: Epagri – Centro de Treinamento de Itajaí – 47 33788364

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Produtores e técnicos avaliam safa de arroz irrigado 2014/2015

massarandubaarroz1

No último dia 24 foi realizado no Auditório da Casa da Juventude, município de Massaranduba o Seminário anual de avaliação de safra de arroz irrigado, nos municípios produtores das regiões de Joinville, Blumenau e Itajaí.

Promovido pela Epagri, o evento contou com apoio do Programa SC Rural e a parceria da Cooperativa Juriti Ltda – Cooperjuriti, Urbano Agroindustrial, Sementes de Arroz Macoppi, Prefeitura Municipal de Massaranduba, Gerência Regionais da Epagri de Joinville, Blumenau, Itajaí e Gerência de Pesquisa de Itajaí.

Participaram 40 técnicos da Epagri, representantes das indústrias ligadas à atividade, de prefeituras municipais e 30 produtores de arroz irrigado da região.

Segundo o engenheiro agrônomo Hector Silvio Haverroth, líder do projeto grãos e Coordenador de Assistência Técnica e Extensão Rural da Epagri, nas regiões produtoras, no período da manhã foram discutidos temas técnicos, principalmente quanto ao uso eficiente de fertilizantes com objetivo de reduzir custos de produção e formas de controles de plantas daninhas com resistência aos herbicidas tradicionais.

Durante a tarde foram apresentados os dados obtidos em 37 Unidades de Referência Técnica instalados no Estado, na safra 2014/2015 com as cultivares da Epagri.

Após ser apresentado e discutido os dados obtidos com o diagnóstico da cultura referente à safra 2014/2015, resultado de 195 questionários realizados junto à produtores de arroz da região, que mostrou o nível tecnológico utilizado, as produtividades obtidas e as dificuldades encontradas foi consolidado o levantamento de produção de arroz na safra 2014/2015 na região e levantado temas para direcionamento dos trabalhos de pesquisa e de extensão rural para a safra 2015/2016.

Participaram diretamente das apresentações os pesquisadores engenheiros agrônomos Dr. José Alberto Noldin, Dra Fabiana Schmidt, Dr. Rubens Marschalek, Dr. Ronaldir Knoblauch, Mestre Domingos Sávio Eberhardt e o Extensionista Rural, engenheiro agrônomo Hector Silvio Haverroth.

Na oportunidade, as empresas Cooperativa Juriti, Sementes Macoppi e Agroindustrial Urbano, as quais tem sede na região e tem como atividade principal o arroz, fizeram uma homenagem aos pesquisadores Eng. Agrônomos Mestre Domingos Sávio Eberhardt, Dr. Ronaldir Knoblauch e Dr. Moacir Antônio Schiocchet, recém desligados da Epagri, valorizando os trabalhos prestados e a importância do conhecimento produzido e repassado à cadeia produtiva do arroz irrigado.

massarandubaarroz2

Homenagem aos ex-funcionários da Epagri e da Cooperativa Juriti. Hector Silvio Haverroth, Líder projeto grãos UGT 6, Cristiane mara Fiedler, homenageada, José Alberto Noldin, representando o homenageado Moacir Antônio Schiocchet, Orlando Giovanella, presidente da CooperJuriti, Ronaldir Knoblauch, homenageado, Roni Macoppi, Sementes Macoppi, Domingos Savio Eberhardt, homenageado, João Paulo Franzer, Agroindustrial Urbano e Rubens Marschalek, líder projeto arroz pesquisa.

A Epagri, através do Projeto Arroz, também fez uma homenagem à engenheira agrônoma Cristiane Mara Fiedler, que deixou o emprego, após 20 anos de serviços junto à Cooperativa Juriti. A homenagem foi pela dedicação da profissional e colaboração da mesma com a Pesquisa e Extensão Rural da Epagri.

 

Mais informações: Gerência Regional de Itajaí – GRI - (47) 33415244 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br