Arquivos da categoria: Unidades de Referência

Epagri implantou 1.685 Unidades de Referência Tecnológica de 2009 a 2018

epagriurt

Propriedades rurais distribuídas em todas as regiões de Santa Catarina se transformaram em Unidades de Referência Tecnológica (URTs) pelas mãos da Epagri nos últimos dez anos. Entre 2009 e 2018, a Empresa implantou 1.685 URTs. Elas são propriedades familiares selecionadas pelos técnicos da Empresa para receber novas tecnologias e passam a servir de modelo para agricultores da região.

Nas URTs são realizados cursos, dias de campo, oficinas e reuniões para que os participantes vejam, na prática, que vale a pena adotar as tecnologias orientadas pela Epagri.

Essa ferramenta de extensão rural se destaca nas propriedades leiteiras catarinenses. Hoje são 236 URTs de leite em 165 municípios. Entre 2014 e 2017, o lucro das 60 melhores URTs dessa cadeia produtiva cresceu 97%.

Do total de 1.685 unidades no Estado, 230 são acompanhadas técnica e economicamente de forma mensal pela Epagri, 540 foram apoiadas com recursos do Programa SC Rural e 915 foram trabalhadas pela Empresa como ferramentas didáticas de apoio para propagação de tecnologias e resultados em seus programas técnicos.

Para saber mais, acesse o documento O valor da Epagri. http://docweb.epagri.sc.gov.br/website_epagri/DOC/DOC-285-Relatorio-Epagri-2018.pdf

 

Mais informações: www.epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4309
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Princesa sedia encontro de Unidades de Referência em produção de leite

princesaencontroURT

pricesaurt2

Foi realizado no auditório da Câmara de Vereadores do município de Princesa, extremo oeste catarinense, o encontro das famílias com Unidades de Referência em bovinocultura de leite, implantadas em suas propriedades.

Duas palestras foram realizadas, uma sobre manejo e fertilidade do solo e outra sobre produção de alimentos para o consumo da família.

Também houve a apresentação dos resultados técnicos, econômicos, sociais e contábeis das URT’s, Unidades de Referência Tecnológicas, na produção de leite.

O grupo participante do encontro realizou visita à Unidade da família de Marcelo e Elaine Becker, na comunidade Sagrada Família, onde conheceram os sistemas de produção, organização e gestão de alimentos.

 

UNIDADES DE REFERÊNCIA

As Unidades de Referências Tecnológicas – URT – nome genérico para designar unidades demonstrativas, unidades de observação e unidades de referência educativa são importantes instrumentos de extensão rural e assistência técnica para demonstração e multiplicação de tecnologias.

É instalada em uma propriedade escolhida por um determinado grupo de agricultores, utilizando a tecnologia que se pretende divulgar e replicar. Fonte: Por: Kelly Figueiró / Folha do Oeste

 

Mais informações: emprincesa.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

A tecnologia e o apoio do SC Rural renderam mais peixes nas redes da Família Stolf de Timbó

timbopeixeFACE2

A metodologia de extensão rural denominada: Unidade de Referência Tecnológica (URT) tem sido um método muito eficiente de disseminação de tecnologia. É o que demonstra o jovem Fernando Stolf, em sua unidade de piscicultura no município de Timbó.

timbopeixeFACE1

Faz parte da rotina de trabalho do jovem agricultor Fernando Stolf, o monitoramento constante dos viveiros de tilápia, que agora, ocupam boa parte da propriedade.

Ele e o pai, o seu Osmar, há 4 anos dedicam-se à piscicultura em Timbó, região do Vale do Itajaí. São os cuidados com a água, com a alimentação, sempre na medida certa, com todos os nutrientes necessários aos peixes. Hoje eles estão satisfeitos com o segmento, aprenderam os segredos da criação. Mas essa história, nem sempre foi assim.

timbopeixeFACE3

Ter iniciado uma nova atividade, sem experiência alguma, não foi fácil. Seu Osmar lembra que no início, as perdas eram grandes. “A gente não se preocupava com temperatura da água, oxigênio, acidez. Todos os dias eram cerca de 10 peixes mortos por lagoa”.

Foi aí que a Epagri, através do extensionista rural Valdomiro Biz, fez a diferença ao trazer informação, orientação técnica, acompanhar de perto um novo projeto familiar.

“Trouxemos a tecnologia que a Epagri oferece, com povoamento adequado para a quantidade de água existente. Com apoio do SC Rural implantamos uma unidade de referência técnica na propriedade e tivemos grande interesse do jovem em atuar no segmento”.

Na propriedade são 9 viveiros, com 2 a 3 alevinos por m², que rendem duas safras por ano totalizando uma produção de 20 toneladas”.

“Depois das orientações, nunca mais perdemos peixe e ainda conseguimos economizar muito com a ração”, conclui seu Osmar. E a satisfação do pai não é só por ver essas melhorias e a maior produtividade dos viveiros. A alegria dele é também ver o filho seguindo a vocação agropecuária. Saber que tudo que eles têm hoje, vai continuar pelas mãos das próximas gerações da família.

A propriedade conseguiu apoio do Programa SC Rural. Recursos que ajudaram a implementar a nova atividade, possibilitando volume de produção e alta qualidade para ganhar mercado. Adquiriu equipamentos para melhorar a qualidade da água (oxímetro e peagâmetro). Com o equipamento ele conseguiu melhorar os índices zootécnicos (aumentar a conversão alimentar dos animais e a população nos açudes), aumentando muito a renda líquida da atividade.

Hoje, a produção está dentro do período adequado, com peso e carcaça ideal, o que é bom para o produtor e também para quem compra os pescados para revenda. Agora a propriedade está servindo de exemplo para as demais, disseminando a tecnologia.

No endereço: https://www.facebook.com/scrural você pode acompanhar o depoimento de Fernando Stolf

 

Mais informações:emtimbo@epagri.sc.gov.br

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Produtores de leite de Braço do Trombudo visitam Unidade de Referência Técnica em Presidente Getúlio

   btrombudoexcurssão3

A produção leiteira no Município de Braço do Trombudo está em amplo crescimento. Em decorrência disso a Associação dos Produtores de Leite tem discutido alternativas para a melhoria da atividade buscando novas tecnologias e diminuição do custo de produção.

btombudoexcursão1

Com o objetivo de obter maior conhecimento na área de gado leiteiro, a engenheira-agrônoma Daniélle Girardi Heck da Epagri de Braço do Trombudo, em parceria com a prefeitura, organizou uma visita ao município de Presidente Getúlio. Lá eles conheceram a Unidade de Referência Técnica (URT) de produção de leite a base de pastagem perene na propriedade do Sr. Odair Stedile.

O engenheiro-agrônomo Ricardo Vencato da Epagri de Presidente Getúlio apresentou aos agricultores um breve histórico da propriedade que fica na comunidade do Mirador. A propriedade de 18 hectares é acompanhada pela Epagri desde a implantação do projeto em 2014, quando a família Stedile decidiu diminuir a produção de fumo para se dedicar apenas a atividade leiteira. O rebanho de 18 vacas Jersey é manejado numa área de 5,2 hectares de pastagem. Para o próximo ano, afirma Odair Stedile, deve se dedicar exclusivamente a atividade leiteira e ampliar o número de piquetes.

btombudoexcursão2

As tecnologias recomendadas pela Epagri implantadas nessa URT foram mostradas pelo responsável pelo programa de pecuária, o médico veterinário Alexandro Kolling da Epagri de Rio do Sul. Conhecedor do projeto desde a origem, Alexandro destacou a importância de um adequado planejamento dos corredores, cercas e a localização das porteiras. Detalhou sobre os diferentes tipos de pastagem e as diferenças de seu manejo. A missioneira-gigante é destaque entre as forrageiras implantadas. Sua rusticidade e facilidade no manejo torna esta espécie forrageira atrativa para áreas mais acidentadas, de difícil acesso e com ocorrência de geadas. Outras forrageiras implantadas foram a hemártria, jiggs e capim pioneiro.

btrombudoexcursão4

Os agricultores visitantes também conheceram como funciona o sistema de distribuição de água nos piquetes e as vantagens do sombreamento. Nesta URT foram utilizadas oito espécies de árvores nativas, maioria leguminosas, para que, além da sombra e proteção aos animais, as árvores auxiliem na conservação do solo e na ciclagem de nutrientes.

Segundo Daniélle, os participantes puderam conhecer as diversas técnicas aplicadas em conjunto, e desta forma poderão aplicar algumas das tecnologias observadas nas atividades da Associação de Produtores de Leite de Braço do Trombudo, como por exemplo a sobressemeadura, técnica que tem como objetivo aumentar a produção e o período de utilização dos pastos, com aumento de rentabilidade da atividade leiteira.

Mais informações: embracotrombudo@epagri.sc.gov.br 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Produção de banana é tema de encontro técnico em Corupá

corupadiadecampo1

O Escritório Municipal da Epagri de Corupá, com apoio da ASBANCO e da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Corupá promoveu no dia 26 de abril uma TARDE DE CAMPO na Unidade de Referencia Tecnológica localizada na propriedade do Sr. Álvaro Gessner, na Tifa dos Palmitos- Estrada Felipe Schimidt, na localidade do Rio Novo.

             corupadiadecampo3

Os objetivos desta TARDE DE CAMPO foram: Conhecer a Unidades de Referencia Tecnologica em Renovação de Bananais (U.R.T.) de “Grand Naine”; Os aspectos da técnica de renovação de bananais; A produção de composto orgânico de engaços de banana; O manejo de ácaros da folha; O manejo do solo proposto, incluindo plantas de cobertura e a adubação química e avaliação da produtividade.

 

corupadiadecampo2 corupadiadecampo4 corupadiadecampo5

A tarde de campo teve início às 13:30 horas, com a presença do vice-prefeito de Corupá Sr. Arno Neuber e sua esposa, o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Marcos Martini, o S.r Adolar Benkhe, Presidente da ASBANCO, o Secretário Executivo Regional do SC Rural, Hector Haverroth, a Extensionista Rural da Epagri de Guaramirim, Camila Golba e a Engª Agrônoma Josiane Madruga, da Empresa Mankhe Plantas Ornamentais.

Os trinta e cinco participantes percorreram a propriedade onde foram demonstradas as técnicas de manejo de solo com plantas de cobertura de solo, adubação em área total com produtos simples, plantio de mudas por divisão de rizoma em áreas novas na propriedade que estão sendo renovadas pelo método da URT.

Numa segunda etapa foi feito uma demonstração do uso do pulverizador eletroestático da Empresa Bell, uma novidade tecnológica na redução da deriva durante as aplicações e diminuição da calda usada.

 Depois o grupo conheceu a compostagem de engaços de banana com cama de aviário na palestra do Engº Agrônomo da Prefeitura de Corupá Lucas Trevisan e do Técnico Agrícola da ASBANCO Kevin Cubas, que apresentaram esta solução para o aproveitamento dos engaços de banana produzidos na casa de embalagem na formulação de um composto orgânico de elevado teor de nutrientes para o bananal.

Finalizando, uma palestra do Engº Agrônomo da Epagri de Corupá, George Livramento, sobre os resultados econômicos da Unidade de Referencia, bem como a explanação do agricultor e colaborador Álvaro Gessner sobre sua impressão sobre o novo manejo do bananal. Um dos resultados mais expressivos é o retorno do equilíbrio do solo do bananal, o aumento da produtividade de 22 ton/Há para 70 ton/há, com redução de até 15% nos custos com adubação.

Esta unidade teve o apoio financeiro do Projeto SC Rural, com apoio logístico da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e da ASBANCO. Nela, uma serie de tecnologias desenvolvidas pela Estação Experimental da Epagri de Itajaí foram implantadas pelo Escritório Municipal da Epagri de Corupá dentro de uma parceria com o proprietário. Este conjunto de tecnologias foi recentemente reconhecido pela FAO como algo inovador e que deve ser replicado nos diversos países onde a bananicultura é apoiada pela entidade, estando disponível em sua plataforma na internet.

 

Mais informações: Epagri – Corupa – (47)  3276-9370

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Unidade de referência técnica de cultivo de melancia com sistema de irrigação por gotejo é instalado em Aurora

auroramelancia1

Em uma propriedade rural, do município de Aurora, no Alto Vale do Itajaí, que não possuía reserva de água superficial, produzir melancia agora, isso é possível. Com apoio do Programa SC Rural, foi instalada no mês de novembro uma Unidade de referência técnica de cultivo de melancia, com sistema de irrigação por gotejo.

auroramelancia2

Para armazenar água, foi aproveitado as superfícies de telhados das benfeitorias da propriedade (Galpão e estufa de fumo), e construída uma cisterna com geomembrana com dimensões de 12 x 6 x 1,8. A partir desta reserva de água foi viabilizado a instalação do sistema de irrigação, com uso de uma bomba de 0,5 CV, filtro, registros, mangueira de 2” e fita gotejadora. A vazão de água obtida por planta de melancia é de aproximadamente 3 litros/hora, considerando que são duas fitas por fila de plantas, o que aumenta a área para desenvolvimento de raízes.

O agricultor Francisco Valdir Hillesheim, observa os bons resultados no aspecto visual e de desenvolvimento vegetativo das plantas, já na primeira semana da instalação da irrigação. Ele conta que antes as plantas estavam com o desenvolvimento comprometido pela seca, que no atual ano foi mais intensa que em anos anteriores.

Os técnicos que atuam no escritório local da Epagri, Cristiano Schuch e Almir Kroger, salientam a importância do uso da irrigação na horticultura como um todo, o que precisa são adaptações de sistemas de acordo com as condições de cada propriedade.

Ainda segundo relato dos técnicos, boa parte do território catarinense possui distribuição hídrica superficial relativamente boa e o regime pluviométrico, também ser bem distribuído durante os meses do ano, sendo assim possível ofertar água para as plantas de acordo com a necessidade de cada espécie, mesmo em períodos de estiagem. 

Mais informações: Epagri – Aurora -  (47) 3533 8816 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Dia de campo reúne produtores de leite em Flor do Sertão

florsertaoleite1

O Dia de Campo realizado no município de Flor do Sertão contou com grande participação dos produtores e como destaque a motivação da família com os resultados.

No início de setembro, a equipe local da Epagri, juntamente com a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Flor do Sertão realizou um dia de campo na propriedade do agricultor Nilso de Costa e família, situada na linha Fuzil. O encontro contou com a presença de mais de 30 agricultores.

Na propriedade, que tem uma área de terra de 19,4 hectares e 19 vacas em lactação, foi implantada uma URT (Unidade de Referência Técnica) que vem sendo acompanhada pela equipe técnica da Epagri a mais de um ano.

florsertaoleite4 florsertaoleite5

No local os participantes conheceram três estações. Na primeira o técnico da Epagri, Nestor Colling, apresentou as pastagens implantadas na propriedade, sendo as variedades tifton, hemártria e jiggis, que no momento estavam com sobresemeadura de azevém e aveia. Ali os produtores observaram a forma de construção dos piquetes com cerca elétrica e também água e sombra em piquetes. Estas práticas proporcionaram a diminuição da mão de obra, bem estar animal, além de aumentar a lucratividade da atividade.

florsertaoleite3

Em outra estação o engenheiro agrônomo Humberto Bicca Neto falou sobre os custos de produção, aumento de produção de leite oriunda do pasto, podendo-se chegar a 15.000 litros de leite por ha/ano. Por meio do controle leiteiro, usando tecnologias adotadas pela Epagri, pode-se analisar, por exemplo: o leite produzido do concentrado, o leite oriundo da pastagem, a produção por hectare, entre outros. Trabalha-se com a meta de chegar a cinco unidades animal por hectare, e 80% da área destinada as vacas com pastagens perenes, levando-se sempre em conta o lucro líquido final para o produtor.

florsertaoleite2

Na terceira estação, a engenheira agrônoma do município Francieli Brusco, apresentou tecnicas de criação de bezerras, manejo, importância do colostro, fase inicial e de desmame, fornecimento de concentrado e feno, a criação até os três meses e também na fase coletiva. O manejo de bezerras tem o objetivo de que se possa chegar ao peso ideal para a primeira inseminação com idade entre 15 e 16 meses, reduzindo o custo para o produtor.

 

Mais informações:Epagri – Gerência Regional de Palmitos- (49) 3462 4081 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

As conquistas da Família Moraes de Herval do Oeste refletem dignidade, segurança e felicidades

hervaldooestefamilia1   

 Gilmar Antônio de Moraes, Marilse, esposa, Luana e Gabriela, filhas

Contamos aqui, a história de vida dessa família de agricultores que em 2001, numa pequena propriedade localizada na Linha Capoeirada, no município de Herval do Oeste começou com uma vaca de leite ganha do sogro e uma do pai e a vontade de produzir e ser feliz.

Após um grande trabalho de implantação da atividade de bovinocultura de leite, em 2011 a família Moraes, começou a fazer os registros da atividade com acompanhamento do técnico da Epagri, Itamar Terencio da Silva. Em 2012 também iniciou o acompanhamento contábil pelo software “contagri” da Epagri orientado pelo Técnico da Epagri Evandro Uberdan Anater. Os acompanhamentos geram informações que orientaram as tomadas de decisões na propriedade.

 hervaldooestefamilia2

Em 2011 começava também o Programa SC Rural, que teve uma importância fundamental no desenvolvimento da família.

Com recursos do SC Rural em 2012 o técnico da Epagri em Herval do Oeste, Itamar da Silva iniciou a instalação de uma Unidade de Referência na propriedade de Gilmar. Iniciava uma nova etapa de desenvolvimento da família.

A atividade de bovinocultura de leite foi incorporando tecnologias pela orientação técnica, conhecimento, integração com outras políticas públicas como o KIT Forrageiro, da Secretaria da Agricultura do Estado em 2013 e 2015 e ainda o crédito de emergência e calcário, pelo Programa Terra Boa, em 2013.

hervaldooestefamilia3

“Utilizando as políticas públicas diversas integradas aos benefícios do SC Rural como os recursos da implantação da Unidade de Referência em bovinocultura de leite, as capacitações, a utilização da propriedade para capacitação de outros agricultores e motivação de outras famílias se alcança o objetivo do Programa que é aumentar a competitividades das famílias rurais”, destaca o engenheiro agrônomo da Epagri, Vitor Hugo Poletto, secretário executivo regional do SC Rural, no meio oeste.

Para o extensionista rural Itamar, a evolução da família Moraes se confirma nos números – de uma produção de 490 litros por dia em 2011, para uma produção que hoje está a mais de 1200 litros de leite por dia em 2016 e, com potencial para crescer mais.

hervaldooestefamilia6

A evolução aqui relatada é a prova que a capacitação dos produtores, a orientação e correta utilização das políticas públicas incluindo o SC Rural, são ferramentas que podem transformar o espaço rural em um ambiente fértil para as famílias rurais viverem bem.

A família do agricultor Gilmar Antônio de Moraes, sua esposa e duas filhas vivem com dignidade, segurança e felizes com a evolução que conquistaram com o apoio da Epagri e do Programa SC Rural. Contato: Gilmar Antonio de Moraes – (49) 98095962 ou 99955336.

 

Mais informações: Epagri de Herval do Oeste -  (49) 3527 9660 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Flor do Sertão sedia Encontro de Unidades de Referências Tecnológicas

 flordosertaourt1

flordosertaourt4

No dia 13 de julho, a Epagri promoveu no extremo oeste catarinense, um encontro de famílias com Unidades de Referências Tecnológicas de Pecuária Leiteira. O evento técnico aconteceu na propriedade da Família De Costa, na localidade da Linha Fuzil, no município de Flor do Sertão.

Segundo relato do engenheiro agrônomo da Epagri, Richard Willian Junglaus, além de agricultores dos municípios de Flor do Sertão, Romelândia, Tigrinhos, Santa Teresinha do Progresso e Cunha Porã, participaram secretários de agricultura dos municípios envolvidos e técnicos de instituições parceiras.

flordosertaourt2

Durante o período da manhã, os participantes juntamente com os técnicos da Epagri, apresentaram um histórico de suas propriedades (URT) com resultados de acompanhamento técnico financeiro da atividade leiteira. “Assim foi possível comparar dados e ver o que está dando certo nas outras propriedades para também fazermos na nossa e melhorarmos nossa renda”, destacou o agricultor Nilso De Costa.

“Esse é o objetivo das Unidades de Referência Técnica (URT). Elas representam uma atividade da propriedade rural, em que se concentram práticas e inovações tecnológicas, servem de unidades de demonstração de resultados para facilitar o processo de adoção de metodologias e tecnologias, por parte dos agricultores”, comentou o técnico Nestor Colling.

flordosertaourt3

Durante as apresentações, o agricultor Udo Kuttner, do município de Cunha Porã relatou que tem como pastagem o Cynodon, que é a estrela africana. “Muitos não utilizam, pois não sabem manejar e a chamam de “encrenca de vizinho”, mas eu faço o manejo e para mim é uma estrela”.

O engenheiro agrônomo da Epagri, Humberto Bicca Neto, responsável pelo programa de pecuária do Extremo Oeste, coordenou a atividade no período da tarde, quando os participantes visitaram a URT de da família de Costa. Nessa propriedade, foi iniciado um planejamento em 2015 e posteriormente, implantado um sistema fixo de piquetes planejados, com pastagens perenes, água e sombra. Humberto relata que as URTs são importante meio de consolidação das recomendações da Epagri para a produção de leite sustentável em Santa Catarina.

“A meta é termos 40 URTs no extremo oeste em 2016. A adoção do sistema de produção de leite preconizado pela Epagri permite um aumento na rentabilidade das propriedades, desde que os cuidados com a disponibilização de pastagens perenes em quantidade e qualidade seja realizado em piquetes, com água e sombra”, ressalta.

As Unidades de Referência Técnicas são utilizadas Epagri na atividade de extensão rural em todo o estado e contam com o apoio financeiro do Programa SC Rural, que repassa ao produtor rural recursos financeiros para investimentos na propriedade e também custeando as atividades de capacitação.

Os encontros estão sendo realizados em 2016 em seis polos do extremo oeste catarinense envolvendo o trabalho de 40 famílias orientadas por técnicos da Epagri, técnicos parceiros e prefeituras municipais. Nos encontros, cada município leva uma família que possui URT ou que está implantando para a troca de experiências e demonstrar o trabalho para as entidades parceiras.

Para Mircon Fruhauf, gerente regional da Epagri de Palmitos, o encontro foi uma oportunidade de troca de experiências entre famílias que apostaram no sistema de produção de leite preconizado pela Epagri, servindo para reflexão e motivação para ações futuras e tomadas de decisão.

Fontes: Humberto Bicca Neto – humbertoneto@epagri.sc.gov.br e Richard W Junglaus – junglaus@epagri.sc.gov.br

 

Mais informações:Epagri – Gerência Regional de Palmitos- (49) 3462 4081 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br

Unidades de produção de alhos são implantadas no Alto Vale do Itajaí

URT_EEItuporanga

A cultura de alhos nobres é uma atividade de alto valor econômico, dependente de mão de obra e combina bem com a estrutura fundiária e com maioria das culturas de verão cultivadas na região do Alto Vale do Itajaí, não fosse pela sua grande exigência em frio.

Como no ano passado foi testada uma tecnologia de vernalização (fornecimento artificial do frio), numa experiência bem-sucedida no município de Rio do Campo, nessa safra técnicos da Epagri resolveram instalar unidades de referência com apoio do Programa SC Rural em municípios da região: Presidente Nereu, Pouso Redondo, Lontras, Rio do Campo e na Estação de Pesquisas de Ituporanga.

O objetivo desse trabalho é definir qual a quantidade de frio necessária para que os alhos plantados produzam bulbos de qualidade em cada um desses municípios.

Alho debulhado

Ao se concluir esse acompanhamento, a região deverá ter uma excelente opção de diversificação da produção e da renda de suas propriedades rurais, uma vez que 80% do consumo nacional de alhos ainda é importado e essa cultura tem apresentado excelente retorno econômico às famílias que a cultivam.

  URT alho_EEItuporanga1

No dia 17 de junho iniciou-se a instalação da unidade na Estação de Pesquisa de Ituporanga, com distribuição do material e um treinamento o cultivo do alho a todos os envolvidos, sob instrução de Gilmar Michelon Dalla Maria – gerente regional da Epagri de Curitibanos, e participação de Claudinei Kurtz – gerente da Estação e Silvia Zimmermann – líder projeto olericultura na região.

URT Aho_Lontras

Em Lontras a família Pfleger já iniciou os preparativos para receber as sementes de alho para implantar a unidade. De acordo com a extensionista Lais Capel, a família, já com vasta experiência em tomate, cebola, aboboras, repolho, brócolis entre outras, está contente e com uma grande expectativa para implantar a nova cultura no município.

URT alho1_Presidente Nereu

Roberto Bechtel, extensionista de Presidente Nereu, afirma que não só a família, mas a comunidade toda da Barrinha está entusiasmada com a nova cultura. Para o produtor Jovenal Gucki, o alho vem com o objetivo de complementar as atividades agropecuárias dos agricultores familiares de nosso município que tem, atualmente, como cultura principal o Fumo. “Até mesmo a linha de plantio foi a mesma que a do fumo, apenas uma emparelhada com a enxada e pronto”, disse Jovenal.

Em Pouso Redondo, o produtor Vilmar Luiz Anacleto considera, que conforme os resultados do experimento, a cultura do alho poderá ser mais uma fonte de renda para a propriedade. 

 

Mais informações: Epagri - Gerência Regional de Rio do Sul -  (47) 35263070 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico: imprensa@microbacias.sc.gov.br