Embrapa Florestas testa chá-mate descafeinado

embrapacha

Promovido pela Embrapa Florestas, no sábado (09), quem passou pelo Mercado Municipal de Curitiba pode participar de testes sensoriais com chá-mate.

O objetivo foi verificar a aceitação (método afetivo) de amostras pelos consumidores, identificando assim, se materiais genéticos descafeinados de erva-mate produzem produtos finais de melhor aceitação ou aceitação similar aos tradicionais.

Este é o quarto evento realizado com este objetivo e, desta vez, foi avaliada a aceitação de chás mate obtidos com diferentes clones de erva-mate sem cafeína (descafeinados naturalmente) em comparação a marcas comerciais já existentes no mercado.

O teste abrangeu informações como dados demográficos (sexo, idade, instrução), a aceitabilidade dos produtos (escala hedônica de 9 pontos) e intenção de compra.

Os participantes degustaram 7 amostras de chás mate oriundos de diferentes materiais genéticos descafeinados, comparando-os a duas marcas comerciais.

A intenção da equipe da Embrapa Florestas durante os testes também foi a interação com os consumidores, para troca de experiências e percepções sobre o consumo de erva-mate.
Esta análise é parte do projeto de pesquisa da Embrapa Florestas "Desenvolvimento de material genético melhorado e tecnologias de produção de erva mate – Fase II".

Pesquisa científica e novas opções a produtores rurais e consumidores
Tradicionalmente associada ao consumo de chimarrão e chás, a erva-mate pode ganhar mais utilidades nos mercados de alimentos, cosméticos e detergentes. Pesquisadores da Embrapa estão trabalhando no desenvolvimento de plantas com teores conhecidos de cafeína e outros componentes de interesse, como teobromina e compostos fenólicos (antioxidantes).

Estes trabalhos podem revolucionar o sistema de produção da erva-mate e a forma de consumo, pois abrem caminho para uma variada gama de novos produtos. Existe potencial para desenvolvimento em diferentes frentes: da cafeína, com bebidas e alimentos energéticos ou descafeinados, como no caso das amostras que serão analisadas pelos consumidores neste sábado; da teobromina, com produtos como relaxantes musculares, diuréticos e vasodilatadores; e com compostos fenólicos, os flavonoides, que são antioxidantes e podem trazer benefícios para a saúde, além de aprimorar a composição nutricional e sensorial dos alimentos, bem como ajudar em sua conservação. Fontes: pesquisadores Ivar Wendling e Rossana Catie Bueno de Godoy – Embrapa Florestas

Para saber mais sobre estas pesquisas, acesse: 

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/11010596/genetica-e-manejo-alteram-teor-de-cafeina-em-plantas-de-erva-mate


Mais informações: https://www.embrapa.br/floresta

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307
Endereço eletrônico: imprensa@scrural.sc.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>